A Igreja no Brasil e no Mundo

Oficina capacita agentes para enfrentamento ao tráfico humano

A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou em Brasília (DF), de 14 a 16 de novembro, uma Oficina de Formação e Construção de Metodologia para Comunicadores que atuam na prevenção e no enfrentamento ao tráfico de pessoas. Ao todo participaram da oficina 45 pessoas de 17 regionais da CNBB.

Dom Enemésio Lazzaris, presidente da Comissão Especial para Enfrentamento ao Tráfico Humano. Fotos: Arquivo CEPEETH

O objetivo da atividade, segundo o bispo de Balsas (MA) e presidente da CEPEETH, dom Enemésio Angelo Lazzaris, foi capacitar agentes dos regionais para a prevenção e o enfrentamento de situações de tráfico humanos. O bispo ressaltou como muito positiva a participação de 17 dos 18 regionais da CNBB na capacitação.

A assessora Maria Luiza Moura Oliveira contribuiu para ajudar o grupo a compreender as raízes do tráfico no Brasil. Ela também ministrou uma oficina sobre Abuso e Exploração Sexual. O grupo participou ainda de uma vivência terapêutica cujo tema foi “Cuidando de quem cuida”.

Os representantes dos regionais partilharam as ações que existem para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, com destaque para os desafios e dificuldades enfrentadas. A partir disto, o grupo amadureceu ações para as três linhas de ação para o enfrentamento ao Tráfico de Pessoas: a) prevenção; b) Incidência Política; c) Assistência às vítimas. Cada regional levantou as suas próprias linhas de ação e processos que vão fomentar ou dar continuidade em 2019.

Para Rodrigo da Silvia Leite, de Belém (PA), membro da Comissão de Justiça e Paz da CNBB do Regional Norte 2 e da Coordenação Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Coetrap), essa oficina foi fundamental para subsidiar a construção de outras oficinas em sua região. “O enfrentamento do tráfico de pessoas precisa ser ampliado para que outras comunidades possam receber a capacitação. Na nossa região Norte, região Amazônica, o índice de exploração sexual e o tráfico de pessoas é muito grande”, disse.

A representante do Instituto de Migrações e Direitos Humanos, Luyandria Santos Maia, de Boa Vista (RR) compartilha da mesma avaliação. Para ela, a apresentação da metodologia para identificar casos de tráfico vai ajudar bastante a identificar os casos em Boa Vista cidade que, em função do fluxo migratório muito grande por conta da crise na Venezuela, concentra muitas pessoas em situação de vulnerabilidade e sujeitas à exploração e ao tráfico humano.

Reunião da Comissão para Enfrentamento ao Tráfico Humano

A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se reuniu dia 13 de novembro, em Brasília (DF), em sua segunda reunião do ano, para avaliar 2018 e projetar 2019, além de dar os últimos encaminhamentos à Oficina de Formação e Construção de Metodologia de Metodologia para Comunicadores.

Segundo o bispo de Balsas (MA) e presidente da CEPEETH, dom Enemésio Angelo Lazzaris, o ponto forte da caminhada da comissão em 2018 foi a Missão à Roraima, de 1º a 4 de março, para averiguar em loco a situação dos imigrantes venezuelanos, ação que desencadeou uma série de encaminhamentos junto à CNBB, à sociedade civil, à diocese de Roraima e aos governos estaduais e federais. Em 2019, informou o bispo responsável, a Comissão pretende realizar seminários sobre prevenção e enfrentamento ao tráfico humano nos regionais da CNBB.

Via CNBB

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!