Destaque Diocese em Ação Sem categoria

Rota Romana assessorou leitura guiada da Amoris Laetitia no Rio de Janeiro

Nos dias 05 e 06 de fevereiro, a Mitra da Arquidiocese do Rio de Janeiro, situada no Ed. São João Paulo II, acolheu uma formação com o tema: “Matrimônio e Família no Caminho Sinodal de Papa Francisco”. O momento formativo foi composto por na leitura guiada da exortação apostólica Amoris Laetitia e foi assessorada pelo decano da Rota Romana do Vaticano, Monsenhor Pio Vito Pinto, com tradução simultânea. O público alvo convidado para o evento foram Canonistas, advogados, juristas em geral, agentes da Pastoral Familiar, sacerdotes, diáconos, seminaristas e todos os interessados a ajudar casais em situação de nulidade matrimonial.

A formação teve a abordagem dos seguintes temas: 

• A eclesiologia de Francisco, e caminho sinodal sobre o matrimônio e família;
• O Discernimento, método necessário para esta Reforma: beleza e crise do matrimônio e família segundo o Magistério dos dois últimos Sínodos (Cap. VIII de Amoris Laetitia);
• Reforma epocal do processo matrimonial: o Bispo, juiz pessoal no processo breve. A figura do Metropolita;
• O Catecumenato matrimonial permanente: formação necessária para noivos e cônjuges (Cap. VI de Amoris Laetitia);
• O Pároco, ministro do catecumenato matrimonial sacramental permanente.
• A função dos Diáconos casados;
• Função da pastoral familiar e dos Tribunais eclesiásticos (Cap. VII de Amoris Laetitia).

Maria do Rosário Silva, esposa de Cláudio Rodrigues,  casal assessor nacional do Instituto Nacional da Pastoral Familiar, esteve presente na formação. Ao ELODAFE, a também assessora pedagógica do INAPAF, afirmou estar feliz em ter participado da formação. “Ter oportunidade de ouvir as autoridades da Rota Romana nos motiva à compreensão de que o Direito Canônico só tem valor se estiver a serviço das pessoas e se a salus animarum for acolhida em nossos corações. Pastoral Familiar e Tribunais Eclesiásticos – parceria fundamental! Justiça e misericórdia precisam caminhar juntas!”, completou a assessora. 

O Tribunal da Rota Romana (Tribunal Rotae Romanae) é um Tribunal Pontifício, o mais alto tribunal de apelação que existe na Igreja Católica, encarregado, entre outros assuntos, dos processos de nulidade matrimonial no mundo. Para as dioceses mais afastadas de Roma ou com recursos escassos é quase impossível enviar suas estudantes à Cidade Eterna para realizar uma especialização. Ou, advogados civis que querem ajudar suas dioceses tem a formação jurídica, mas lhes falta a especialização em direito canônico.

A Rota Romana é um tribunal de apelação universal em temas de nulidade, mas também é um instituto de formação. Com base nesta necessidade de formação seja de juristas, advogados, canonistas, sacerdotes ou da pastoral familiar a Rota Romana viu a necessidade de promover esta formação e nossa diocese foi privilegiada em poder recebê-los. Monsenhor Pio Vito Pinto é o decano da Rota Romana e veio ao Brasil para falar sobre a reforma do processo canônico para as causas de declaração de nulidade, estabelecido pelo Papa Francisco. “É uma reforma séria e difícil porque se trata de mudar de mentalidade e é necessária a conversão de cada um de nós”, indica Monsenhor Pinto.

O decano explica que o Papa sempre sublinhou a importância de “não fazer com que a nulidade seja agora mais fácil, porque não seria justo. O processo deve ser sério e o Bispo tem o grave encargo de se comprometer nos processos e também de formar as pessoas. Isto levará seu tempo, mas já neste primeiro ano se fez muito”. Nesse sentido, Mons. Pinto indica que “na Igreja há uma massa enorme de pessoas que não buscam nem querem a nulidade, que vivem uma união, um divórcio civil, às vezes nem uma união de fato, mas uma convivência no tempo” e que, por isso, o Papa, consciente desta realidade, propôs esta reforma.

Monsenhor Pio Vito Pinto falou sobre Eucaristia, a necessidade de formação, a misericórdia da igreja, a atenção aos casos, a abertura ao conhecimento dos casais e o cuidado com a família cristã que é a resposta à fidelidade de Deus e na segunda metade do dia a formação foi conduzida por Monsenhor Alejandro. Cada família tem que ser encarnação da imagem de Deus. A Igreja reconheceu a necessidade de convidar todas as pessoas que trabalham na pastoral matrimonial e familiar a uma consciência renovada da necessidade de ajudar os casais e suas famílias construir e cuidar do íntimo santuário de sua consciência cristã.

Com informações de Maria do Rosário Silva,
Rota Romana e ACI Digital

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!