Diocese de Uberlândia Em Destaque

A noite de Belém

Noite fria e silenciosa em Belém! Todos dormem como as demais noites! Mas, no relento daquela noite um casal busca desesperadamente por um lugar, pois uma jovem, Maria está prestes a dar à luz, um filho. Em meio às dores e sem encontrar um lugar digno para ali contemplar a face daquele que nascerá, resta aconchegar-se junto aos animais. Ali, local simples e singelo, protegido do frio pelo calor dos animais, sem auxílio de uma parteira ou algum profissional da saúde, Maria só pode contar com a ajuda de seu esposo José.

Manjedoura

Instantes depois, a silenciosa noite é interrompida pelo choro de uma criança. A criança que chora ao sair do conforto do ventre materno e adentrar na confusa história humana, é Jesus. O choro daquela criança move céus e terra: nos céus coro de anjos anunciam que o Salvador se faz presente na fragilidade d’Aquele Menino; na terra, homens e mulheres deixam suas funções habituais para irem a Belém contemplar a face da criança.

A noite de Belém não é mais silenciosa! A noite de Belém não é como qualquer outra noite! A noite de Belém é mistério, vida e esperança! A noite de Belém acolheu o Salvador feito homem, e, por isso mesmo, tornou-se noite de peregrinação e veneração! A noite de Belém é o início de um novo rumo na história da humanidade!

José e Maria não possuem um berço confortável e enfeitado para colarem seu filho. O que eles têm é uma manjedoura usada para alimentação dos animais. É ali mesmo que o Menino Jesus terá sua primeira noite de sono neste mundo. Ali repousa num sono inocente O esperado, o portador da paz, da luz e da esperança. A manjedoura tornou-se fonte de luz porque acolheu Jesus, o sol nascente que veio irradiar com sua vida a humanidade que caminha nas sombras da morte e da opressão.

Nesse local, o Menino Jesus recebeu suas primeiras visitas: homens simples, marginalizados, trabalhadores, pastores de rebanho. Eles vieram para visitar uma criança, mas ao chegarem diante da manjedoura curvaram-se em veneração, pois reconheceram na fragilidade de uma criança, a grandiosidade de Deus. Viram a inauguração do novo mundo na face delicada de Jesus Menino. Com certeza, os corações dos visitantes se alegraram e se encheram de júbilo por contemplarem a face amorosa de Deus.

Em nossos dias, somos convidados a fazer de nosso coração uma manjedoura para acolher o Menino Jesus e deixar que nossa existência seja iluminada pela sua presença. Que o Natal de Jesus seja o início de um novo mundo! Que a noite silenciosa de nosso medo, egoísmo, falta de solidariedade, indisponibilidade, desesperança, desespero, seja interrompida pelo choro de uma criança inocente, Jesus, que nasce para transformar, iluminar, irradiar com sua vida nossas vidas!

_________________

Por, Pe. Guilherme Stort

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!