Diocese de Uberlândia Em Destaque

Dois novos párocos são transferidos de paróquias

Dando continuidade ao processo de transferência de alguns párocos que já estão a mais de uma provisão (6 anos) na Paróquia em que atuam, o senhor bispo diocesano, dom Paulo Francisco Machado, em suas atribuições de Pastor e Governante da porção do Povo de Deus na Igreja Particular de Uberlândia-MG, faz saber:

Foto: google / Igreja Matriz Sant’ana

[box]

04/01, às 19h, o Revmo. Sr. Padre Mozart Fernandes, transferido da Paróquia Sant’Ana de Indianópolis para o Setor Matinésia.

05/01: às 09h, o Revmo. Sr. Padre[1] Francisco Felipe Santiago, transferido do Setor Martinésia para a Paróquia Sant’Ana em Indianópolis-MG.

[/box]

Entenda o porquê das transferências

O ato de transferir párocos compete unicamente ao bispo diocesano e é um processo normal, necessário e fecundo no seio das comunidades cristãs. A mudança, por assim dizer, beneficia a todos: ao padre e à comunidade, contribuindo, inclusive, para a vivência fraterna e cristã da hospitalidade, do acolhimento do outro e das mudanças que o novo sempre provoca nos corações e nas estruturas.

Uma Paróquia, como nos lembra o Catecismo da Igreja Católica (CIC), no número 2179 (leia, abaixo, o parágrafo na íntegra), é uma porção do Povo de Deus (fiéis) confiado a um padre sob a autoridade do bispo diocesano. Nesse sentido, a Paróquia é uma região eclesiástica do bispo diocesano que, livremente, delega auxiliares para ali exercerem o ministério de pastores e de administradores (governo).

Assim sendo, cumpre-nos, como veículo Oficial de Comunicação da Diocese de Uberlândia-MG, por meio do nosso Portal, fazer chegar a todos os interessados, e mais especialmente aos paroquianos das Paróquias em que seus párocos foram transferidos, a boa-nova que, desde já, fazemos votos que seja fecunda, tranquila e promotora de todo bem, de toda caridade e de viva estima por todos.

Padres que já foram transferidos

01/01/2014 – 19:30 Pe. José Maria Pinheiro [transferido da Paróquia Santa Rosa de Lima para a Paróquia São Judas Tadeu- Araguari]

02/01/2014 – 19:30 Pe. Clayton de Souza Fernandes [transferido da Paróquia Santa Edwiges para a Paróquia Santa Rosa de Lima]

03/01/2014 – 19:30 Pe. Francisco Assis dos Santos [transferido da Paróquia Nossa Senhora da Abadia do Patrimônio para a Paróquia Santa Edwirges]

04/01/2014 – 19:30 Pe.  Sergio de Siqueira Camargo [transferido da Capelania Nossa Senhora do Rosário e São Benedito para a Paróquia Nossa Senhora Abadia- Patrimônio]

[box type=”note”]

“Paróquia é uma determinada comunidade de fiéis, constituída de maneira estável na Igreja particular, e seu cuidado pastoral é confiado ao pároco, como a seu pastor próprio, sob a autoridade do bispo diocesano. É o lugar onde todos os fiéis podem ser congregados pela celebração dominical da Eucaristia. A paróquia inicia o povo cristão na expressão ordinária da vida litúrgica, reúne-o nesta celebração, ensina a doutrina salvífica de Cristo, pratica a caridade do Senhor nas obras boas e fraternas”. (CIC 2179).

[/box]


[1] Pelo Sacramento da Ordem em que um homem passa a agir na pessoa de Cristo e da Igreja, configurando-se à pessoa de Cristo Pastor, graças à ação atualizante e santificadora do Espírito Santo, seu caráter “sofre” alteração indelével. Portanto, seu nome [que simboliza a própria pessoa] é alterado, tal como o nome dos Patriarcas e daqueles a quem era confiado uma missão. A palavra PADRE, nesse sentido, não é titulo nem pronome de tratamento, mas condição nova adquirida pelo Sacramento, atrelando ao nome de batismo o nome da missão.

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!