Diocese de Uberlândia Em Destaque

Dom Paulo Francisco abençoa altar de comunidade

Nessa última quinta-feira (30 de janeiro), Dom Paulo Francisco, bispo diocesano de Uberlândia-MG, acompanhado pelo Pároco da Paróquia São Judas Tadeu, Pe. Itamar de Almeida Machado, do seu auxiliar, Pe. Olezil, e do diácono transitório Marco Aurélio, presidiu a Celebração de Sagração do Altar, momento solene, com participação expressiva dos fiéis da Comunidade Nossa Senhora de Lourdes.

06

A Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Roosevelt, pertence à Paróquia São Judas Tadeu, está em festa desde esse domingo (02) até dia 11 de fevereiro, quando se celebra a Padroeira da Comunidade.

Em sua homilia, dom Paulo Francisco reforçou a importância de “nos sentirmos chamados, na força do Espírito Santo, a vivermos em comunidade”. Segundo o líder religioso, o “espaço do Pai é o espaço dos filhos e ele nunca se cansa de nos perdoar, de nos amar”. E afirmou: “esse chamado deve ser um movimento do coração em direção a Deus, assim nossa oração passa a ter um valor muito especial”.

Contextualizando a celebração, o bispo diocesano salientou que “os construtores de uma comunidade não são os que a edificaram”, pois, “nossa gratidão deve ser direcionada àqueles que primeiro anunciaram, que tiveram a santa audácia e coragem de anunciar o Evangelho, de anunciar Jesus. O importante numa comunidade é a graça de corações unidos, da generosidade de tantos, do aprendizado a viver sob um novo senhorio, que é Jesus, nossa rota para chegar ao Pai, que é Caminho, Verdade e Vida”, afirmou com veemência.

Aos participantes da celebração, dom Paulo Francisco afirmou que “o bonito na vida em comunidade é a coragem de recostar a cabeça no peito de Jesus, não só ouvir, mas escutar Sua Palavra, permitindo que ela vaze para nossos corações, nos tornando mais fraternos e unidos”.

02

Em relação ao simbolismo da consagração do altar – a partir do qual o altar se torna Cristo e sobre o qual se renova o sacrifício da Sua entrega ao Pai – “tem um significado muito especial para a comunidade, a partir do instante que o altar é bento, ele é Cristo, consagrado, ungido para Deus e nos permite a certeza plena de que Deus nos ama, com todas as nossas limitações. Precisamos valorizar a centralidade do altar, e a celebração eucarística deve ser para nós também a certeza de que tendo Cristo à nossa frente, como nosso intercessor, nosso mediador, no reconhecimento sincero de nossas faltas e de nossas fissuras, a graça vem”, catequisou o bispo.

_______________________

Fotos: Thayse e Thayla
Repórter: Maria do Rosário

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!