Diocese de Uberlândia Em Destaque

ELODAFE entrevista a Banda Vida Reluz

O ELODAFE acompanhou a passagem da Banda Vida Reluz pela cidade de Uberlândia onde se apresentou no Sábado (18), no encerramento do SACRASOM 2013, o Festival de Música Católica, ocorrido no UTC.

A banda Vida Reluz é composta por 7 (sete) músicos fixos e 4(quatro) freelancers; Luiz Felipe (Vocalista), Cidinha Moraes (Vocalista), Felipe Souza (Vocalista), Rosana de Pádua (Vocalista), Mauricio carvalho (teclados), Cristiano Araújo (Teclados), Paulinho Oliveira (Sax), Alexandre Saes (Vilões) e Nilson Nezão (Técnico de Som).

vidareluz2

Desde o CD “Deus imenso”, após a saída de Walmir Alencar, um dos fundadores do grupo, permanece essa formação que percorre o Brasil com o propósito de “levar Deus às pessoas”, conforme se definem enquanto grupo católico.

Vida Reluz teve seu momento de reconhecimento público, no cenário nacional, a partir do CD “Celebra a Vitória” de 1997. Entretanto, os membros da banda ainda conservam aquele mesmo espírito do grupo quando participavam do grupo de jovens da Sociedade São Vicente de Paulo em São José dos Campos-SP. Um dos valores que a banda faz questão de conservar em seus shows é a oração. Assim, suas apresentações musicais são mais do que um simples show; são momentos de louvor, oração, recolhimento interior e ação de graças.

Perguntamos aos membros da banda como é lidar com o reconhecimento e o sucesso; o vocalista Luiz Felipe definiu que “o sucesso da Vida Reluz é um reconhecimento das pessoas e uma forma de Deus nos honrar, pois, a partir do momento que você busca a Deus, seu trabalho [se torna abençoado] através das pessoas que são abençoadas, que nos dão seu testemunho”, garantiu o vocalista. Em se tratando do sucesso, Luiz Felipe salientou que isso é “uma questão muito relativo, pois, o sucesso é do mundo; uma hora você sobe, outra hora você cai, está lá em baixo, mas o sucesso que buscamos é em Deus, e esse sucesso deixa frutos”, finalizou.

Pela segunda vez em Uberlândia, Luiz Felipe apontou as semelhanças da cidade mineira com a cidade natal da banda, afinal, “ambas são interioranas, de grande porte e de expressão significativa em seus respectivos estados. Porém, em São José dos Campos, onde tem basicamente indústrias, a fé do povo é mais expressiva, escancarada, tem um número maior de paróquias o que facilita a evangelização”, ressaltou o músico. Todavia, salientou que, “apesar de que em uma cidade como Uberlândia, a fé deveria ser mais enraizada devido os agronegócios onde se percebe mais nitidamente a ligação com a terra e com as pessoas”, filosofou.

A banda Vida Reluz está convicta de que a música católica faz parte da Nova Evangelização da Igreja, visto ser ela uma das vertentes evangelizadora mais complexa que se tem. Por isso, a Banda  se sente agraciada com o sucesso, embora isso “não nos deixe envaidecidos; pelo contrário, nos revela que não estamos mais numa época retrograda, não podemos ser músicos que se enclausuram em camarins, mas não vão ao povo. Por exemplo: nesse momento estou falando com você aqui, mas quando sair daqui você terá a oportunidade de nos ver descer do palco, de atender as pessoas, de estar no meio delas”. E conclui: “o trabalho que fazemos em cima do palco não pode ser contraditório quando descemos. É preciso ter humildade e acolhida. É preciso ser como o Papa Francisco quando esteve no Brasil por ocasião do JMJ; é preciso não ter medo de gente, ir até onde o povo está”. A Evagenlização, segundo Luiz Felipe, vocalista da banda Vida Reluz, “se faz além das palavras; com gestos e atitudes”, justificou.

Questionados sobre a jornada de trabalho, os músicos não titubearam: “muitos [de nós] tem jornada tripla, quádrupla, todo mundo aqui trabalha além do Vida Reluz, seja em empresas, professores de música, além de cada um ter sua família”, respondeu Paulinho Oliveira, saxofonista do grupo. “As pessoas às vezes acham lindo viajar, fazer shows, mas se esquecem de que temos família, esposa (o), filhos os quais deixamos para trás para cumprir nossa missão”, completou Luiz Felipe.

Motivo pelo qual a jornada da Banda é reduzida. Eles fazem shows apenas nos finais de semana e sempre têm o zelo de reservar um final de semana no mês para estar com a família. Em média são de 4 a 6 shows por mês.

vidareluz

Quanto aos planos futuros para a missão da Banda, os integrantes afirmaram que pretendem dar um passo ainda maior: viver só da música. No entanto, “trabalhar só com a musica seria um sonho”, mas analisam que no momento isso é um tanto improvável, e garantem que: “ se chegarmos a esse ponto, com certeza teremos mais shows por ai, e vamos evangelizar muito mais”, ponderou o baterista, Marcos Castelhano.

O CCD agradece a disponibilidade da Banda Vida Reluz em nos atender e acompanhar toda sua passagem pela cidade.

Confira as fotos do Show em nossa Fanpage: www. Facebook.com/elodafe

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!