Diocese de Uberlândia Em Destaque

Encontro de formação para agentes da Pastoral Familiar

Ocorreu neste sábado (29), no salão dei verbum do santuário de Nossa Senhora Aparecida em Uberlândia, o encontro de formação para agentes da pastoral familiar da diocese de Uberlândia, das 14h às 17h, com a presença dos assessor eclesiástico, Pe. Francisco, do coordenador de pastoral, Pe. Itamar Almeida, e do administrador paroquial da paróquia de São Cristóvão, Pe. Joaquim Porto.

O encontro formativo contou com um grande número de participantes das mais de 40 paróquias da diocese. Segundo a coordenadora do setor pré-matrimonial, Eduarda Melo, juntamente com o seu esposo, Romes Ferreira, “a realização deste encontro é uma sequencia dos trabalhos da comissão de noivos de preparação matrimonial, organizado desde maio do ano passado. E o propósito deste encontro é trazer materiais e subsídios para as equipes de preparação. Também trazemos orientações do Leste II (Minas Geais e Espírito Santo) da CNBB (Conferência Nacional dos bispos do Brasil), que aconteceu agora em Junho e apresentaremos alguns materiais validados por d. Paulo para que possamos organizar os trabalhos em preparação matrimonial de uma forma mais uniforme, com uma linguagem mais coerente e que seja de todas as paróquias”. Eduarda salientou, ainda, a importância deste momento por ser de formação e de entrega de materiais a fim de serem levados paras as paróquias, contribuindo com os respectivos párocos.

Com relação à participação das paróquias neste encontro formativo, toda a equipe organizadora reconheceu o empenho e o zelo dos párocos e coordenadores de pastorais em motivar a presença de tantos agentes. Houve uma representatividade de, aproximadamente, 33 paróquias. Ainda segundo Eduarda Melo, “a parceria entre a pastoral familiar e as paróquias é muito boa e, mesmo aquelas que não puderam enviar representantes, irão receber os materiais disponíveis e terão toda assistência necessária”.

Também esteve presente ao encontro o bispo diocesano, d. Paulo Francisco Machado que salientou a importância do sacramento do matrimônio, além de advertir aos presentes: “O sacramento já tem um valor em si. Não seja desonesto querendo que a Igreja abençoe uma realidade com a qual ela não se compactua”. D. Paulo ilustrou sua fala com a história de um casal de amigos que tendo combinado de não ter filhos, optou igualmente por não se casarem na Igreja, contraindo, assim, o sacramento do matrimônio, o que caracterizou, segundo o bispo, numa honestidade louvável.

d. Paulo ainda continuou: “na vida familiar é preciso estar em constante atenção. A sociedade moderna nos faz perder essa atenção e cuidado do outro. Isso é característica do amor. […]”. Falando da relação esponsal entre Abraão e Sara, d. Paulo afirmou que “Abraão é um homem atento à sua mulher e a tudo ao que acontece ao seu lado. Às vezes na vida da família é preciso atendermos com uma certa rapidez. A casa é um lugar de hospitalidade. Os antigos tinham a hospitalidade como uma coisa sagrada. O Evangelho nos chama a atenção para este valor. […] na família deve-se cultivar a gentileza; isso é Evangelho. A família deve ter o ambiente mais gostoso; para o esposo, para a esposa e para os filhos”.

Dirigindo-se especialmente aos presentes e a toda a comissão organizadora, d. Paulo agradeceu: “Eu estou aqui para agradecer-lhes […] A Igreja não pode viver sem a família; a Igreja é família, pelos laços da mesma fé na força da caridade. Eu quero realmente agradecer a vocês que assumiram este desafio de atuar na pastoral familiar. É muito importante esta pastoral, visto que a crise na família é muito grande e temos, infelizmente, muitas ideias contrárias propaladas pelos meios de comunicação. A família é hoje muito incompreendida […] a questão do uso material genético, usado de uma forma tal que não corresponde aos princípios éticos e cristãos […] A pastoral é um serviço para construir Igrejas domésticas. Vocês são construtores de Igrejas domésticas, ajudando as pessoas a construírem famílias verdadeiramente dignas. É preciso vestir o avental”, finalizou.

Por sua vez, o coordenador de pastoral, Pe. Itamar Almeida, falou sobre a importância de uma consciência clara das normas e diretivas sobre o matrimônio. Pe. Itamar ressaltou que “o sacramento do matrimônio tem suas normativas próprias e que, por isso, a Igreja não pode permitir coisas que, para ela, não tem valor algum”, sendo aplaudido pelos presentes.

Veja abaixo os principais itens de orientação para o rito do matrimônio:

– Idade mínima: para a realização do casamento religioso a idade mínima para homens é de 18 anos completos e para mulheres de 16 anos completos.

– Local da celebração do sacramento: o lugar da realização do casamento é na Matriz ou capela da paróquia a que pertencem o noivo ou a noiva. Na diocese de Uberlândia não é permitido realizar este sacramento fora da Igreja.

– Se querem casar fora dos limites da paróquia a que pertencem: devem preparar toda a documentação do processo do casamento na paróquia a que pertencem, pedir a transferência para a paróquia que desejam se casar e pagar a taxa correspondente.

– Documentos exigidos: 2 via das certidões de nascimento dos noivos, certidão de batismo dos noivos ou pelo menos a certidão negativa de batismo, comprovante de marcação do civil (não se realiza a celebração religiosa sem o casamento civil), certidão da preparação matrimonial (no mínimo 06 meses antes da cerimônia, podendo ser feito em qualquer paróquia desde que seja emitido comprovante),  comprovante recente de residência dos noivos.

– é necessário informar à secretaria da paróquia caso um dos dois seja de outra denominação religiosa, culto ou se são parentes.

– testemunhas: no mínimo 02 e no máximo 06 por noivo.

– músicas: sejam escolhidos de acordo com a natureza do rito e expressem o mistério celebrado. Deve-se evitar melodias e textos adaptados de canções populares, trilhas de filmes ou de novelas. Quando for música internacional, deve-se apresentar tradução ou utilizá-la apenas de forma instrumental. As músicas escolhidas devem ser levadas à apreciação da paróquia onde será celebrado o matrimônio com 15 dias de antecedência.

As demais orientações, os noivos encontram orientação junto à secretaria da paróquia em que forem se casar.

1005611_597913553562807_1815463283_n

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!