Diocese de Uberlândia Em Destaque

És filho de Deus

O fundador do Opus Dei – São Josemaría Escrivá gostava de recordar o seu batismo e frequentemente, ao passar junto à pia onde fora batizado repetia: ‘Aqui me tornei cristão’ e acrescentava: ‘és filho de Deus. – Não o esqueças!’

maos-de-deus-e-de-crianca2

Somos criaturas de Deus visto que por Ele fomos criados. Mas, por meio da redenção operada por Jesus Cristo fomos feitos filhos adotivos de Deus. Essa graça da filiação divina é assumida por  uma pessoa no instante em  que é levada  à pia batismal e o ministro pronuncia as palavras ‘… (nome da pessoa), eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’. É o início da presença do Espírito Santo na alma. O Espírito Santo nos faz filhos de Deus e coherdeiros com Cristo e nos transforma em templos para Sua própria morada. ‘O novo batizado é agora filho de Deus no Filho único’ – CATEC 1243.

 ‘Considerai com que amor nos amou o Pai, para que sejamos chamados filhos de Deus. E nós o somos de fato’ – I Jo 3, 1. Como a posição de príncipe desaparece diante de Deus assim também  toda posição terrena desaparece diante do privilégio  da adoção de filhos do Todo-Poderoso. A consideração desta realidade levou uma filha do Rei Luis XV da França a se fazer carmelita descalça. Uma vez, quando ainda vivia na corte, esta princesa repreendeu seriamente uma criada. Esta, uma criada cristã, verdadeiramente devota, docilmente  fez entender à sua senhora que sua reprovação era injusta. Exasperada, a princesa disse: ‘Não sabes que sou filha de um rei?’ ‘E eu, respondeu a criada, eu sou filha de Deus’.

Que coisa incrível, surpreendente!  Uma cristã, convicta de sua filiação divina ajuda a filha do rei a se tornar carmelita descalça. Penso no testemunho singelo, simples a que os cristãos são chamados a dar neste tempo em que a cultura de morte se alastra por todos os lados. O papa Francisco pediu recentemente aos católicos que se informem sobre o dia em que foram batizados e que o celebrem a cada ano.  Neste pedido vejo o apelo de um pai ocupado com o bem não só dos filhos, pois aquele que valoriza a graça inestimável da adoção como filho de Deus e aprecia sua alta dignidade ‘se eleva e eleva o mundo’ (Elisabeth Leseur).

Que chegue a todos os católicos o pedido do papa e pelo mover do Espírito Santo ninguém se esqueça: ‘és filho de Deus’.

_______________

Por, Ana Neucele

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!