Diocese de Uberlândia Em Destaque

"Essa Paróquia deve ser para nós terra de missão", afirma novo pároco da Catedral Santa Teresinha

Em missa solene presidida nessa segunda-feira (30), o bispo diocesano de Uberlândia, Dom Paulo Francisco Machado, deu posse canônica ao novo pároco da Catedral Santa Teresinha, Pe. Hudson Inácio de Almeida.

10448729_779052838782210_8680297150478047671_n

Ás 19h30, os sinos da Catedral anunciaram que havia chegado a hora. De portas fechadas e com membros do clero da Diocese como testemunhas, o novo pároco da Sé Diocesana, Pe. Hudson de Almeida, abriu as portas da Catedral numa clara demonstração daquilo que nos ritos iniciais foi explicado pelo bispo diocesano: “o padre abriu as portas da Igreja para demonstrar que ela deve estar sempre aberta e ser sempre um lugar de oração, onde os fiéis podem vir chorar suas dores, sorrir suas alegrias, cantar os louvores e celebrar o culto a Deus”, afirmou.

A celebração eucarística contou com a participação expressiva de fiéis da Catedral e de outras Paróquias da Diocese de Uberlândia, sobretudo provenientes da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, na qual Pe. Hudson Inácio foi pároco por 11 anos, desde a sua ordenação, à qual ele se refere como sendo seu “primeiro amor”.

10458019_779050015449159_839035550701856286_n

Como é de praxe em celebrações de posses canônicas, que a pedido do bispo diocesano são chamadas de “início de ministério”, houve a leitura da provisão que faz referência aos direitos e deveres do novo pároco, como a constituição de conselhos consultores e deliberativos, o cuidado dos bens móveis e imóveis da paróquia, além das finanças e administração paroquial.

Trechos da Homilia de Dom Paulo Francisco Machado

Caro irmão, hoje te entrego a Catedral de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, parcela importante da Igreja Particular de Uberlândia. Não estou a colocar, sob teus zelosos cuidados, somente alguns bens móveis e imóveis – casa paroquial, salão, igreja, capelas, automóvel, cadeiras, computadores, etc -, mas um quinhão precioso do Povo Santo de Deus. Dele serás, não a título próprio, mas como teu bispo, meu representante. Sei, por outro lado, da minha condição: só há um Pastor Titular, a Quem o Pai Celeste confia as suas ovelhas: Jesus Cristo. Nele devemos, acentuo DEVEMOS nos espelhar, pois é Ele o Bom Pastor ou, na expressão original do Quarto Evangelho, o Belo Pastor.

Não estou concedendo uma franquia a um padre, como se a Diocese fosse uma franqueadora a distribuir lojas a pessoas dispostas a retribuir altos lucros a franqueados e franqueadora. Para aqueles, bastará remeter os devidos pagamentos e ser fiel aos procedimentos preestabelecidos. A Diocese de Uberlândia, como nenhuma Diocese, não é uma franquia de Roma, da mesma forma, a Paróquia não é franquia da Diocese. Somos todos, sem nenhuma exceção, uma realidade de comunhão, e enquanto tais, canais da graça a brotar abundantemente da Divina Trindade, uma vez que tudo tem origem no Pai, passa pelo Filho e se espraia no Poder do Espírito Santo.

Conte, caro irmão, com teu Bispo, que na tua ordenação sacerdotal reteve, por poucos segundos, tuas mãos na dele. Foi um gesto de confiança mútua. No querer o bem um do outro, na confiança recíproca, construímos comunhão, espalharemos a comunidade dos santos, nos dirigiremos para a “Perfeitíssima” Comunidade que nos consagrou um dia em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Somos todos; Bispos, Padres, Diáconos, Seminaristas, Religiosos e Religiosas, Consagradas, Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, Catequistas, Agentes das mais diversas Pastorais e Fiéis Leigos, viageiros do Infinito e tempos por estação o Coração Amoroso do Nosso Deus.

Após a homilia, o novo pároco renovou as suas promessas sacerdotais, em que afirma sua fidelidade à ordem episcopal, reiterou sua devoção aos mistérios de Cristo, sua união a Cristo Sumo Sacerdote e o firme desejo de cumprir com dignidade o seu ministério de pregar o Evangelho e ensinar a fé católica. Depois, proferiu a sua fé, a partir do Símbolo dos Apóstolos – Credo -, com as mãos postas sobre o Evangeliário – livro contendo os quatro Evangelhos -, jurou fidelidade e comunhão com a fé católica, exprimiu observância às leis eclesiásticas e obediência ao bispo diocesano.

Também nas celebrações de posse é entregue, simbolicamente, ao novo pároco a pia batismal e o sacrário, referência à sua missão de batizar e presidir a Eucaristia. Também ao Pe. Hudson Inácio foi entregue o relicário contendo relíquias de Santa Teresinha, patrona da Paróquia e da Diocese de Uberlândia.

10344833_779053112115516_1684274002328909444_n

Em um dos momentos mais emocionante do rito litúrgico, o novo pároco manifestou proximidade e recohecimento pelo trabalho de seu antecessor, Pe. Olimar Rodrigues, que segue agora para a Paróquia São Judas Tadeu, em Uberlândia. Ao se referir ao antigo cura da Catedral, Pe. Hudson o chamou de “amigo”, afirmando-lhe que “a casa será sempre sua” e que nela, Pe. Olimar “será sempre bem-vindo”. Visivelmente emocionado, Pe. Olimar Rodrigues agradeceu. O gesto de fraternidade entre os presbíteros arrancou caloroso aplauso dos fiéis presentes à celebração, ovacionando-os longamente.

10450938_779060995448061_100305624248194153_n

A cerimônia foi concluída às 21h15 com a descida de Pe. Hudson Inácio à cripta da Catedral para um instante de oração junto aos túmulos dos bispos e monsenhores ali sepultados. Posteriormente, retornou à nave da Catedral para receber os cumprimentos dos fiéis que o aguardavam.

Confira abaixo o discurso de Pe. Hudson Inácio de Almeida na íntegra

[box type=”note”]

Dom Paulo Francisco Machado, nosso pastor, bispo da diocese de Uberlândia
Meus irmãos padres, diáconos e religiosos,
Meus irmãos todos que vieram de perto ou de longe,

Por graça e misericórdia de Deus, hoje o Senhor me constitui pastor do povo dessa paróquia, Catedral de nossa diocese, dedicada a Santa Teresinha, doutora da Igreja. Como pastor, sou imagem imperfeita do único Bom Pastor que é Jesus. Compreendo que esse pastoreio, essa missão de serviço ao povo de Deus, não provém de mim, não é uma escolha pessoal. Ela só tem sentido dentro da comunhão eclesial, desejada e estabelecida por Jesus Cristo. Dito em outras palavras, para que eu consiga ser imagem do Bom Pastor Jesus, aqui nesta paróquia, eu preciso muito do apoio do pastor dessa diocese, dom Paulo Francisco Machado. Ele é para nós o sinal da unidade da Igreja. Essa unidade também é visível na comunhão presbiteral com os irmãos no sacerdócio e no diaconato que muito me honram com suas presenças aqui hoje, bem como todos os irmãos em Cristo consagrados no sacerdócio comum dos fiéis pelo batismo. Sem essa comunhão que se fundamenta na fé e no amor, todo o esforço pastoral, por mais nobre que seja, corre o risco de tornar-se mero esforço humano, fruto do orgulho e da vaidade e, portanto, infrutífero para o Reino de Deus.

Nesse espírito, peço em nome de Jesus Cristo, que cada pastoral movimento que neste lugar atuam, vivam esta unidade fundamental sem a qual os de fora não poderão reconhecer que somos discípulos de Cristo. Que ninguém caia na tentação de caminhar sozinho, mas saibam também que vocês não estarão sós. Quero me fazer presente, na medida do possível, junto a vocês. Contém comigo.

Quero contar, e vou precisar muito, com o apoio comprometido, afetivo e efetivo, de todos os discípulos e missionário de Cristo que aqui frequentam. Pobres e ricos, todos são merecedores de receberem o anúncio do Evangelho. Todos tem o dever, enquanto batizados que somos, de anunciar que é bom servir a Jesus Cristo em sua Igreja.

10514563_779060162114811_4536580750454557672_n

Eu conto com as crianças, com sua alegria, pureza e entusiasmo. Conto com a vontade de transformação, própria de nossos jovens. Conto com os adultos, com as famílias, para que sejam sinal desse amor de Cristo por sua Igreja. Conto com os anciãos para, mesmo com as limitações pessoais, serem sinais da caridade, na paciência. Que a idade avançada seja sinal para nós mais jovens da sabedoria e da perenidade na vida dos valores imutáveis do Evangelho.

Enfim, essa paróquia deve ser para nós terra de missão. Quero que ela esteja aberta a todos que desejarem colaborar em unidade para que o Evangelho seja anunciado e o Senhor Jesus seja mais amado. Aqueles que quiserem se juntar a nós, com o intuito de somar e multiplicar, jamais de dividir ou subtrair, sejam muito bem vindos.

Muito obrigado a todos os que me alegram com sua presença aqui, particularmente minha família, meus amigos de Araguari, a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, meu primeiro amor, irmãos que vieram de perto e de longe, e a todos os que colaboraram de uma forma ou de outra para essa celebração tão bela. Que Deus recompense a cada um na riqueza de sua graça.

Seria muita indelicadeza de minha parte se não mencionasse meu antecessor, Pe. Olimar Rodrigues. Somos filhos de Araguari, somos irmãos no ministério, mas acima de tudo, somos grandes amigos. Pe. Olimar, saiba que esta paróquia continuará sendo a sua casa. Seja sempre bem vindo.

Finalizo, como fiz em meu agradecimento no dia de minha ordenação presbiteral, pedindo ao Senhor, emprestado do livro dos provérbios, capítulo 30, o seguinte pensamento: “acredito que duas coisas me serão necessárias e as te peço durante o exercício de meu ministério: afasta de mim a falsidade e a mentira, não me dês nem riqueza nem pobreza. Pois, na riqueza eu poderia te renegar, na pobreza eu poderia roubar ou blasfemar contra o teu santo nome. Dê-me apenas o necessário para com autenticidade servir o teu povo”. Amém.

[/box]

10430369_779061275448033_2147120125264402971_n

Confira abaixo matéria produzida pelo assessor do CCD, Geraldo Henrique, um outro olhar sobre o mesmo evento, tamanha sua importância para a vida diocesana:

[box]

Realizou-se na última segunda-feira (30), na Catedral Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, localizada na Praça Tubal Vilela, na cidade de Uberlândia, a posse do novo pároco da Catedral, Padre Hudson Inácio de Almeida. Iniciada às 19h30, a celebração contou com participação expressiva de fiéis leigos e do clero da diocese de Uberlândia.

Ao início da celebração, com o ritual de posse indicado pela Santa Sé, de acordo com as normas vigentes no Código de Direito Canônico, foi lida pelo diácono permanente, Everaldo Ribeiro Franco, em nome do bispo diocesano, Dom Paulo Francisco Machado, a ata de provisão que confere ao presbítero as prerrogativas de pároco e administrador paroquial, sendo apresentados os deveres do sacerdote no exercício de sua função à frente da paróquia.

Após a proclamação do Evangelho realizada por padre Hudson de Almeida, Dom Paulo Francisco Machado, em sua homilia, discorreu sobre o paradoxo entre os princípios jurídicos que regem a Igreja e a realidade concreta da Igreja cotidiana. Nesse sentido, destacou que as leis por si só não trazem o vigor para Igreja, por mais importantes que sejam para orientar os caminhos do povo de Deus. Em contrapartida, afirmou que “o trabalho do padre deve ser orientado pelo amor [pois] o povo de Deus tem direito a ter consigo um padre que lhes concedam os sacramentos, que lhes aproximem do Pai”. Após essa afirmativa, relembrou a entrega simbólica das chaves da Catedral ao padre Hudson, realizada no início da celebração. Segundo o bispo diocesano, esse ato demonstra que as portas da Igreja devem estar aberta a todos, indo de encontro com o papel da Igreja na sociedade contemporânea que é ser missionária. Além disso, o bispo da igreja particular de Uberlândia, ressaltou a importância do trabalho “porta à fora”, que consiste na responsabilidade do cristãos serem discípulos missionários.

Em sua fala, dom Paulo Francisco Machado também relembrou o papel do padre como pastor que guia o povo de Deus, a exemplo de Jesus Cristo, o bom pastor. Assim sendo, rememorou a importância de um padre para conduzir a comunidade à unidade e à santidade, correlacionando o papel do presbítero com o espaço celebrativo: “A importância do batismo como fundamento da iniciação cristã, união a Cristo”, remetendo à pia batismal; ” o altar e o sacrário, um momento de encontro pessoal com o Cristo”, referência ao sacramento da Eucaristia e;  “a mesa da palavra, a palavra de Deus, alimento para a vida cristã”, elucidando o ambão.

Antes de finalizar a homilia, o bispo de Uberlândia recorreu a intercessão de Santa Terezinha, para que ela, como padroeira das missões, pudesse iluminar os caminhos do novo padre que iniciava suas jornada frente à igreja a ela dedicada. Após a suplica, dom Paulo realizou a leitura de uma carta na qual dizia que entregou uma parcela importante da Igreja Particular de Uberlândia, que não se limitava a bens moveis, mas sim, algo muito mais precioso: o povo de Deus.

Ao término da homilia, padre Hudson de Almeida realizou sua profissão de fé, reafirmando seu compromisso assumido no ministério presbiteral, de anunciar a Palavra de Deus e sua obediência ao bispo diocesano. Em seguida, dom Paulo Francisco Machado entregou-lhe a pia batismal, o sacrário e a insígnia de Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, a qual o presbítero, incensou-os, em sinal de reverência.

Na oração da assembleia, os fieis leigos rogaram a Deus pela Igreja Católica em esfera universal; pelo papa Francisco; pelo bispo diocesano; pelo novo pároco, pelos ministro do altar, consagrados e leigos e; por fim, pelos marginalizados.

Antes da benção final, foi lida a ata da celebração eucarística de posse do novo pároco pelo acólito Luiz Henrique dos Santos, sendo seguida pela leituras de cartas de agradecimentos de antigos paroquianos, da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, situada na cidade de Araguari, e pela carta de acolhida, dos novos paroquianos, da Catedral Santa Terezinha. Logo após, padre Hudson de Almeida agradeceu o carinho de todos e teceu algumas palavras que diziam, em suma, da importância da unidade, por meio da comunhão na fé e no amor em Cristo, visando sermos orientados pelas perspectivas do discipulado missionário.

[/box]

10514691_779061498781344_467256694097994970_n

____________________________

O CCD – Centro de Comunicação Diocesano – deseja ao novo Cura da Catedral Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, Igreja-mãe da Diocese de Uberlândia, um profícuo ministério pastoral, bem como um tempo auspicioso de graças para o “pastor e o rebanho a ele confiado”.

Para conferir outras fotos da celebração eucarística, acesse a nossa fanpage: www.facebook.com/elodafe

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!