A Igreja no Brasil e no Mundo

Francisco: "Fazer críticas destrutivas não é comportamento cristão"

2014-08-09 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco participou sexta-feira, 08, de um programa transmitido ao vivo pelas rádios locais Campo Gallo e Huachana, de duas paróquias localizadas a cerca de 200 km da capital de Santiago del Estero, na província de mesmo nome, uma das mais pobres da Argentina.
A entrevista foi concedida aos dois ‘padres de rua’ Joaquín Giangreco e Juan Ignacio Liébana, que conhecem Jorge Bergoglio desde que era arcebispo de Buenos Aires. “Tenho vocês dentro do meu coração. O trabalho que vocês fazem me faz feliz. Por isso começo com uma forte saudação e a minha benção”, disse-lhes o Papa.
Usando uma linguagem muito coloquial, Francisco disse que “quando uma comunidade cristã anda quieta é como uma água estagnada, que é a primeira a ser corrompida. Quando uma comunidade não peregrina, não só a pé, mas com o coração, e não tem um coração peregrino para ir além de si mesma, seja para adorar a Deus ou para ajudar os seus irmãos, essa Igreja está moribunda e tem que ser ressuscitada rápido”.
Na Igreja, disse, “cada um tem a sua função, cada um tem o seu trabalho a fazer, a sua vocação. A Igreja se mantém com a oração dos fiéis. O coração de Deus não é indiferente ao seu povo”, continuou, explicando:
Trabalhar pela unidade sempre vai ser importante. Sempre vai haver diferenças e brigas; a questão é não deixá-las crescer. Fazer que as coisas se resolvam entre irmãos. É preciso conversar sim, mas com Deus. Não depreciar o outro com as palavras. O que mais destrói a Igreja, os povos e a Nação é a crítica destrutiva. Ou seja, ficar falando mal um do outro. Isso não é cristão”.
Questionado sobre a falta de sacerdotes na diocese de Añatuya disse:
Como disse Jesus, rezem para que Deus envie pastores para a messe. O coração de Deus não é indiferente às orações de seu povo. Orem para que o Senhor envie pastores. E eu diria aos jovens que se sentem o chamado de Jesus, que não tenham medo. Que vejam todo o bem que podem fazer, todo o consolo que podem dar, toda a mensagem cristã que podem transmitir e não tenham medo. A vida é para ser arriscada, não para ser guardada. Jesus disse “quem cuida muito da sua vida acaba perdendo-a”.
“A vida é para ser dada. É necessário apostar em coisas grandes e não em pequenas coisinhas. E se sentir que Jesus o chama para formar uma família, que seja uma família cristã, grande, linda, com muitos filhos que levem a fé adiante”.
O Santo Padre concluiu lembrando que “Jesus é muito bom. Deus nos ama. Deus nos espera sempre. Deus não se cansa de perdoar-nos. Devemos ser humildes e pedir perdão, para seguirmos em frente. Deus quer que sejamos felizes. E Ele está conosco. Quando passamos momentos difíceis, de cruz, de dor, temos que lembrar que Ele passou antes e nos compreende de coração. Peço ao Senhor para que todos os que estão ouvindo sejam muito abençoados por Ele, que Deus lhes dê força, vontade de viver, a coragem de não se deixar roubar a esperança e, especialmente, lhes dê uma carícia e lhes faça sorrir”.
(CM)

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!