A Igreja no Brasil e no Mundo

“Não” às perseguições, é o pedido das Igrejas Cristãs na Inglaterra

Os Presidentes das Igrejas unidas da Inglaterra assinaram uma declaração contra a perseguição dos cristãos no mundo.

igrejas

Os Presidentes das Igrejas unidas da Inglaterra, organismo que trabalha com o ecumenismo no país e reúne católicos, ortodoxos, anglicanos, luteranos, pentecostais e outras denominações, assinaram uma declaração conjunta contra a perseguição dos cristãos no mundo.

O documento, recebeu o título de “Os mártires cristãos contemporâneos”, é uma expressão de “profunda dor diante do alarmante incremento de violências e mortes contra cristãos em muitas partes do mundo”, como “Iraque, Irã, Egito, Índia, Paquistão e Indonésia”. E ao mesmo tempo um sinal de indignação contra a crueldade realizada nestas nações.

O apelo é dirigido a “todas as pessoas de boa vontade, a promoverem o respeito e a santidade da vida e o crescimento de todo ser humano”. As Igrejas unidas da Inglaterra reiteram o direito de “poder praticar livremente a própria fé e a própria crença”, convidando todos a “coexistência pacífica das diferentes comunidades em todas as partes do mundo”.

Enfim, recordando Dom Oscar Romero, arcebispo de São Salvador, que foi morto por militares armados em sinal de ódio à fé, em 1980, e beatificado sábado, 23, os signatários dizem que “a sua morte, assim como a de outros mártires cristãos, não tenha sido em vão, e que a paz de Deus reine no coração dos homens”.

A declaração conjunta foi assinada também pelo Arcebispo de Westminster, Cardeal Vincent Nichols; pelo Arcebispo de Cantuária, doutor Justin Welby; e pelo Arcebispo de Thyateira e Grã-Bretanha, o ortodoxo Gregório.

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!