Diocese de Uberlândia Em Destaque

Nota de Pesar pelo falecimento de Frei Flávio Trindade, ofmcap

A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, e sua partida do meio de nós, uma destruição, mas eles estão em paz”

(Sb 3, 1-3)

Causou-nos enorme consternação a notícia do falecimento de Frei Flávio Trindade Santos ocorrido hoje (05) pela manhã, às 06h30, no Hospital Santa Clara, em Uberlândia-MG.

Frei Flávio era frade capuchinho, tinha 78 anos, natural de Ouro Preto-MG e foi ordenado presbítero no dia 29 de junho de 1966. Atualmente, desempenhava sua função como Vigário na Paróquia São Sebastião. Desde a última quarta-feira (29), foi hospitalizado após ter sido encontrado desacordado no refeitório das dependências da Fraternidade, no bairro Tibery.

Segundo Frei Fabrício, ofmcap, ao chegar ao hospital, Frei Flávio Trindade já não reconhecia mais nenhum de seus confrades, embora se recordasse de que era frei. Esta informação confirma o modo como Frei Flávio viveu todo o seu ministério: na doação de sua vida e na identidade consciente e arraigada de sua vocação franciscana.

Nós do CCD – Centro de Comunicação Diocesano – desejamos a todos da Ordem Franciscana – Capuchinhos – nossas sinceras condolências, estendida aos familiares, parentes e amigos, bem como a todos os fiéis leigos de nossa Diocese que se nutriram da sabedoria, do apostolado e da missão deste “santinho” que agora, do céu, intercede por nós.

Fraternalmente,

Pe. Claudemar Silva
Assessor de Comunicação Diocesano

Uberlândia – MG, 05 de Maio do ano do Senhor, 2015, Ano da Paz.

Frei Flávio

Biografia
____________________

 

[box type=”tip”]

Flávio Trindade nasceu em Rio Doce, próximo a Ponte Nova (MG) aos 06 de julho de 1936, filho de José Costa Santos e Maria das Mercês Trindade Santos. Ingressou inicialmente na Arquidiocese de Mariana, onde foi ordenado diácono em 06 de março de 1966 e presbítero em 29 de junho do mesmo ano. Depois, ingressou na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Iniciou o Noviciado no dia 21 de julho de 1972, em Patos de Minas, tendo como Mestre ad hoc Frei Carlos Fabiano. Fez a Primeira Profissão religiosa aos 26 de julho de 1973 e a Profissão Perpétua três anos depois, aos 27 de julho de 1976.

Frei Flávio permaneceu em Patos de Minas como cooperador pastoral e diretor dos estudantes até janeiro de 1978, quando foi transferido para Uberaba. Esse ano foi particularmente confuso: em março, Frei Flávio foi enviado a Uberlândia, para abertura da nova Fraternidade; em agosto, retirou-se para Cambuquira, para tratamento de saúde. Lá ficaria até 1981 quando, já instalada a Província dos Capuchinhos de Minas Gerais, Frei Flávio voltaria a Uberaba como vigário da Fraternidade e cooperador pastoral. O Capítulo Provincial de 1984 confirmou sua permanência em Uberaba, agora como guardião da Fraternidade e pároco da Paróquia Santa Teresinha.

Em 1987, ano em que foi fechada a Fraternidade de Uberaba, Frei Flávio foi enviado a Carmo do Paranaíba, onde assumiu as funções de guardião da Fraternidade e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Em 1990, o 4° Capítulo Provincial lhe confirmou esses mesmos serviços, que exerceu até o fim do triênio, quando foi transferido para Belo Horizonte como vigário da Fraternidade e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompeia.

Ainda em Belo Horizonte, em 1996, Frei Flávio iniciou o Mestrado em Teologia no então Instituto Santo Inácio (hoje, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia). Por conta dos estudos, viajou à Europa. De volta a Belo Horizonte, no ano seguinte, defendeu a dissertação: “o Futuro nos Escritos Escatológicos de Karl Rahner”. Nesse momento, Frei Flávio já se dedicava à pregação de retiros e assessorias nas áreas de teologia e espiritualidade, atividade que exerceu com zelo e que lhe rendeu tanto carinho por parte de diversas congregações religiosas e dioceses.

Em 1998, foi nomeado guardião da Fraternidade de Uberlândia e vigário da Paróquia São Sebastião. Em 2001, foi designado vigário da nova Fraternidade formativa São Francisco de Assis, também em Uberlândia. Nesse tempo, colaborou na formação dos postulantes e atuou como “livre docente”, ou seja, exercia livremente a docência em nome da Província.

Frei Flávio voltou a Belo Horizonte em 2004, como diretor de estudos do Pós-Noviciado de Filosofia e Teologia. Entre 2007 e 2011, viveu em Governador Valadares, onde foi guardião da Fraternidade, orientador vocacional e assistente da Ordem Franciscana Secular.

Finalmente, em 2011, Frei Flávio retornou a Uberlândia. Desde então, auxiliava nos trabalhos paroquiais, lecionava na Faculdade Católica de Uberlândia e no Seminário Maior da Diocese de Patos de Minas, prestava assessorias e pregava retiros espirituais.

Na manhã da quarta-feira, 29 de abril de 2015, os irmãos da Fraternidade de Uberlândia encontraram Frei Flávio inconsciente. Imediatamente, o levaram ao hospital, onde os exames revelaram a existência de um coágulo cerebral. A cirurgia para sucção do coágulo foi feita naquela mesma tarde. Entretanto, Frei Flávio foi acometido de uma crise, razão pela qual voltou à UTI. Na tarde do dia 03 de maio, o diagnóstico asseverava que seu estado gravíssimo era irreversível. Enfim, às 06h30min do dia 05 de maio, Frei Flávio faleceu. Toda a Província, seus familiares e amigos, tantas pessoas agradecidas por terem partilhado da riqueza de suas palavras, acompanharam com angústia a dolorosa espera de seus últimos dias; até poderem, afinal, entregar a vida de Frei Flávio ao Mistério que ele tanto amou.

Fonte: Assessoria de Comunicação PROCAMIG

[/box]

 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!