Diocese de Uberlândia Em Destaque

Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Uberlândia: Parabéns!

Era o distante ano de 1945. O dia, onze (11) de abril, precisamente. Naqueles tempos idos, dom Alexandre Gonçalves Amaral, bispo da então diocese de Uberaba, criava, por meio de decreto apostólico, a mais nova paróquia da região: Nossa Senhora Aparecida de Uberlândia.

De lá pra cá, o templo dedicado à padroeira do Brasil, foi gradativamente ganhando novas faces e novas atribuições. Desses 70 anos de existência, a Paróquia, há 10 anos, passou a ser Santuário Diocesano, elevada no dia 10 de outubro de 2004, erigida canonicamente por dom José Alberto Moura, bispo diocesano à época.

11149371_927831717237654_5771919241464756512_n

Nossa Senhora Aparecida foi desmembrada da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, tendo em vista a extensão geográfica e populacional circunscritas àquela paróquia. A divisão, segundo o decreto, foi para atender de modo mais satisfatório aos muitos fieis que acorriam à igreja matriz, sem comprometer, todavia, sua fé e piedade.

A Paróquia recém-criada faria fronteira com as Paróquias de Tupaciguara e Nossa Senhora do Carmo de Uberlândia. Entre elas, corriam-se os rios confluentes: Uberabinha e o Rio Araguari (antigo Rio das Velhas), além da foz do Rio das Pedras e da foz do Córrego do Vau ou das Tabóceas. O que nos faz lembrar dos “Rios de Deus” que margeavam o Templo Santo de Jerusalém: o Nilo, o Eufrates, o Ganges e o Tigre. (Cf. Ez 47).

Se haviam rios, muitas eram as Ruas e Avenidas a acolher a mais nova Igreja Matriz da cidade de Uberlândia. Da Rua México à Avenida Fernando Vilela uma Estrada de Ferro ligava-as: Mogiana. Por ela, entre malas e gente, progresso e civilidade, iam homens e mulheres que se sentiam convidados a erguer uma prece aos céus quando olhavam para a esquerda, afinal, lá estava um templo erguido em direção aos céus para acolher os filhos do Altíssimo, dedicado àquela que, na terra, reconheceu: “o Senhor fez em mim maravilhas, Santo é o seu nome” (Lc 2,47).

E se muitas foram as maravilhas operadas na vida dos fiéis católicos, muitas foram as graças derramadas sobre o clero e sobre toda a diocese de Uberlândia ao longo de todo este septuagésimo aniversário.

A Paróquia de Aparecida contou com um grande número de fiéis leigos e ordenados ao longo de sua história.

O primeiro vigário nomeado no dia 19 de abril de 1945 para a então Paróquia Nossa Senhora Aparecida foi o padre nascido na Tchecoslováquia, Pe. João Batista Bake, que tomou posse no dia 22 daquele mês. Pe. Bake ficou no cargo até 1948. Também por ali passaram Pe. Zanor Rosa e Pe. Gervásio Bassini, famoso confessor à época.

No dia 07 de Setembro de 1956 foi entronizada oficialmente a réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida vinda diretamente do Santuário Nacional. E, em 26 daquele mês, foi inaugurada com grande festa e benção solene de Dom Alexandre Amaral as dependências físicas do novo templo, iniciadas em 11 de Novembro de 1952, com planta de Luiz Rocha e Silva e projetada por Silvio Rugane.

A partir daquele momento, assumiram as funções de conduzir a porção do povo de Deus presente àquele território pastoral, os padres Mário Forestan e Antônio dos Santos. Foi na gestão de Pe. Forestan que o prefeito da época, Afrânio Rodrigues da Cunha, iniciou a jardinagem da praça em frente da matriz, atualmente com piso revestido de pedra portuguesa branca e preta, e igualmente dedicada à Santa padroeira da Paróquia.

Muitos outros padres vieram para deixar sua marca e contribuição junto ao povo de Deus.

No ano 1985, Pe. Itamar de Almeida Machado assumiu como novo pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida. Permaneceu por 7 anos na função.

Para sucedê-lo, veio Pe. José Oslei de Souza. Pe. Oslei assumiu a Paróquia em 12 de janeiro de 1992. E, em 31 de janeiro de 1999, assumiu como pároco, Pe. Marcello Sebastiano Augello, sendo, ainda, o primeiro reitor do Santuário Diocesano.

Em 07 de Agosto de 2014, Pe. Itamar de Almeida Machado assumiu como novo pároco e segundo reitor do então Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida.

Entre painéis de Claudio Pastro, com azulejos sobre a via-sacra no pórtico principal, cerâmicas no interior do Tempo, retratando os apóstolos, de Elaine Aparecida, e afrescos do pintor sacro Pe. Lázaro, grande multidão de fiéis acorre semanalmente ao Santuário para celebrar junto da boa mãe do céu, a Senhora de Aparecida, os Sacramentos emanados do coração aberto do Filho de Deus.

Anualmente, por ocasião do dia dedicado à padroeira do Brasil, 12 de Outubro, milhares de fiéis e romeiros, provenientes dos bairros de Uberlândia e das cidades vizinhas, vêm ao Santuário para expressar sua fé, sua devoção e gratidão a Nossa Senhora Aparecida, sobretudo pela sua materna intercessão, a quem confiam suas intenções e suas necessidades.

O Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, que conta atualmente com 12 comunidades dedicadas aos apóstolos, mantem-se aberto tal quais os braços de um rio com o firme propósito de acolher a todos e não excluir ninguém. Daqui, sob o véu azul da “Senhora Negra do Brasil”, emana para toda a Diocese rios de bênçãos, de esperança e de fé para todo aquele que, ouvindo sua exortação de mãe, faz tudo o que o seu Filho lhe disser. (cf. Jo 2, 5).

Nesses 70 anos de existência, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Uberlândia contribuiu para a formação de homens novos para um mundo novo. Louvemos, portanto, a Deus pela graça de termos entre nós um lugar que nos convida a fazer a experiência do céu já na terra, na vivência da pratica do bem, da caridade, do perdão e da fraternidade. Oxalá venham todos. E quem vier, de onde vier, venha sempre em paz.

_________

Por, Pe. Claudemar Silva

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!