Diocese de Uberlândia Em Destaque

Paróquia Nossa Senhora da Abadia celebrará Santa Luzia

A Comunidade Santa Luzia, situada na Rua Crispim Lourenço Borges, nº 35, no Bairro Morada Nova na cidade de Tupaciguara, pertencente à Paróquia Nossa Senhora da Abadia, rezará tríduo em louvor à sua padroeira a partir de hoje (11), encerrando no próximo sábado (13).

Este ano o tema do tríduo é: “A exemplo dos Santos, aprendemos a seguir o caminho de Jesus Cristo”.

SANTA LUZIA - cartaz 2014 1

Haverá missa nos três dias, às 19h30, presididas pelo pároco Pe. William Eurípedes Garcia. No domingo (14), a Comunidade irá promover um almoço com um animado leilão a partir do 12h.

Pe. William Garcia e toda a comunidade aguardam a presença de todas as famílias das outras sete comunidades pertencentes à Paróquia e também de todos os devotos da “Santa dos Olhos”.

[box type=”tip”]

História de Santa Luzia

Santa Luzia (ou Santa Lúcia), cujo nome deriva do latim, é muito amada e invocada como a protetora dos olhos, janela da alma, canal de luz.

Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, ao ponto de Luzia ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe queria vê-la casada com um jovem de distinta família, porém pagão. Ao pedir um tempo para o discernimento foi para uma romaria ao túmulo da mártir Santa Ágeda, de onde voltou com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimentos por que passaria, como Santa Ágeda.

Vendeu tudo, deu aos pobres e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Santa Luzia, não querendo oferecer sacrifício aos deuses e nem quebrar o seu santo voto, teve que enfrentar as autoridades perseguidoras e até a decapitação em 303, para assim testemunhar com a vida, ou morte o que disse: “Adoro a um só Deus verdadeiro, e a ele prometi amor e fidelidade”.

Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.

Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra “A Divina Comédia”, que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.

[/box]

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!