Colunistas Destaque Destaque2 Em Destaque

REFLEXÃO (01/07), POR MONSENHOR PAULO DAHER

13ª Semana do Tempo Comum | Sexta-feira
01/07/2022

Em Mateus 9, 9-13, Jesus encontra Mateus cobrador de impostos e o chama para segui-lo.
Mateus foi.
Deu um banquete de despedida e convidou Jesus.
Os fariseus criticaram Jesus por comer com os pecadores.
Jesus disse: “quero misericórdia e não sacrifício.
Não vim chamar os justos mas os pecadores.”

Entrar em contato com pecadores era falta grave na mentalidade desses fariseus.

Ninguém nasce santo. Todos temos muitos defeitos e cometemos muitos erros.
A começar pela vida em família.
Se ao crescer uma criança ao cometer erros não é ajudada, o que será dela no futuro e como irá entender as outras pessoas se todos nós erramos também.

O princípio que se ouvia antigamente: quem erra deve ser castigado, é anti-cristão, anti-humano.

Para uma educação que possa preparar melhor qualquer pessoa para seu futuro, a atitude deveria ser: quem erra tem o direito e a necessidade de ser corrigido.

Imaginemos um diretor de colégio que expulsasse de sua instituição quem não fosse capaz de ser perfeito em todos os seus trabalhos de estudo. Não estamos ainda no céu.

Por isso Deus imaginou a família, porque o nascimento de uma criança, seu crescimento e educação para a vida pede paciência cada dia para ir ajudando o filho a entre erros e acertos se preparar para o futuro na vida.

E nesta terra vai continuar a ver pessoas que caminham entre acertos e erros e precisam participar e serem ajudados.

Cristo vive e é o Senhor!

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!