Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (01/11/2023) Monsenhor Paulo Daher

30ª Semana do Tempo Comum | Quarta-feira
01/11/2023

Em Lucas 13, 22-30, a quem perguntou se são poucos os que se salvam.
Jesus respondeu que a porta para a vida eterna é estreita.
E muitos vão bater à porta para entrar, embora tenham feito tanta coisa.
E o Senhor responderá: “eu não os conheço.” Porque mesmo tendo seguido muitas leis religiosas, cometiam muitas injustiças. “E virá gente de outros povos para ocupar o lugar de vocês no meu reino. Há muitos que são primeiros e primeiros que serão os últimos”.
Atravessar a porta estreita pode ter vários sentidos. Uma pessoa gorda dificilmente passará num lugar estreito. Se não houver outra saída, deverá perder peso. Espiritualmente falando: estar pesado, estar gordo, dificulta fazer muita coisa. Gordo de pecado, de buscar mais prazeres da vida.
Porta estreita são as dificuldades que encontramos no decorrer de nossa vida. Não é fácil vencer os obstáculos ficando de braços cruzados.
Tentar pela porta estreita é ter força, coragem, perseverança para superar tudo que impeça de realizar um ideal humano de felicidade e o ideal cristão de se conduzir como verdadeiro filho de Deus e irmão de todos.
A vida eterna é estar ligado a Deus pelo amor, Aqui na terra pede esforço, atenção, oração, meditação da Palavra de Deus. Na eternidade já é um estado definitivo de união com Deus. Aqui na terra, estamos ainda trabalhando com tudo o que somos e temos para sempre ficar na casa do Pai e poder sentir sua presença paterna.
Pesoalmente já neste mundo podemos perder nossa identidade se trilhamos caminhos que não nos levam a Deus. Ficamos como que com o rosto diferente, não parecemos com nosso Pai. Assim quando nos apresentarmos diante dele, o Senhor não nos identificará. Tão mudados, que perdemos a aparência de filhos. Não seremos reconhecidos.
Que seria: os últimos serão os primeiros, os primeiros serão os últimos?
Em primeiro lugar, Jesus quanto pode chama à atenção dos judeus como povo escolhido por Deus, para sua responsabilidade de vivenciar o culto ao verdadeiro e único Deus no meio de povos adoradores de muitos deuses. Se não aceitarem Jesus como o Salvador anunciado, eles, os primeiros, serão colocados em último lugar.
Reconheciam o Deus único. A eles se aceitarem Jesus, passarão de últimos para serem os primeiros.
Quanto a nós, também, se desde cedo fomos escolhidos por Jesus, e o abandonamos, passaremos para o último lugar…

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!