Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (06/05), por Monsenhor Paulo Daher

3ª Semana da Páscoa | Sexta-feira
06/05/2022

Em João 6, 52-59, os judeus perguntavam: “como Ele pode dar a sua carne a comer?” E Jesus continua: “se não comerem a carne do Filho do homem e não beberem de seu sangue, não terão a vida em si. Como o Pai que vive me enviou e eu vivo por causa do Pai assim quem me come viverá por causa de mim.
Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná do deserto. Quem come deste pão viverá para sempre.

Jesus continua com a mesma imagem do pão que irá dar, de sua carne e de seu sangue que também deverá ser a comida e a bebida dos eleitos.

Os judeus em sua linguagem daquele tempo e ainda hoje, como muitos povos tem dificuldade de aplicar afirmações concretas à realidade que vivemos, ou a suposições de hipóteses.

Brincamos quando comentamos de nossos irmãos portugueses de Portugal. Quando são perguntados: para onde vai esta estrada? Respondem: ela não vai ela está aí. Fica aí.

Outros povos também tem esta maneira direta de entender tudo. Tem dificuldades de entender as hipóteses.
Por exemplo e se não for assim? Respondem, mas é assim.

Jesus usava muito comparações inventadas ou direcionadas para fazer-se entender.
Quando fala sua carne, seu sangue, pensa em sua vida. Comer, beber, mais no sentido de trazer até nós, transformar.

Eu sou o pão da vida quer dizer: como o pão é alimento que se transforma em sangue e em vida, Eu acolhido como pão, como sangue, como carne, sou vida, dou-me como vida.

Sabemos o sentido desta afirmação que muitos pais e esposos fazem: este meu filho, esta minha esposa é vida de minha vida, No sentido do amor que nos iguala, que nos alimenta, que toma conta de nossos pensamentos, sentimentos e lembranças.

Houve santos (e os há ainda em nossos tempos!) que estavam tão imersos no amor de Deus que o alimento tão necessário para nosso corpo, quase eram dispensados. Parecem que já estão vivendo em outro nível de vida, que já nem precisam do alimento comum e necessário para nosso corpo.

Ser envolvido pelo amor de Deus e a Deus, até nas pessoas e de pessoas a quem nos dedicamos, faz-nos esquecer outras necessidades como o alimento, o sono, a própria saúde.

Cristo vive e é o Senhor!

Monsenhor Paulo Daher (falecido em 2019)

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!