Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (12/2023) Monsenhor Paulo Daher

2º Domingo do Tempo Comum
12/11/2023

Em Mateus 25, 1-13, Jesus compara o Reino dos céus a 10 jovens previdentes e 10 imprevidentes que iriam participar da festa de casamento. O noivo demorou. Elas dormiram. Quando chegou, as lamparinas das imprevidentes já estavam sem óleo. Esta pediram às outras, que disseram: se dermos a vocês um tanto, ficaremos sem óleo. Vão comprar. Elas foram. Quando voltaram bateram à porta fechada. Não lhes abriram. E Jesus: fiquem vigiando porque vocês não sabem nem o dia e nem a hora.
A vida, embora pareça, não é só um dia após o outro. Como tudo nesta terra: tem começo, meio e o fim.
É lei do crescimento. Todo o ser vivo, em seu dinamismo, parte de um ponto na direção de um outro, em geral para cima, em busca do ar, da luz para manifestar sua vitalidade.
No que diz respeito aos seres vivos, o que é essencial, já tem sua força natural de desenvolvimento, independente, p. ex., no ser humano de sua vontade ou busca. As reações vitais são autônomas e independentes.
Por suas capacidades, o ser humano ajuda as forças naturais a se organizarem para finalidades que abrem caminhos para outras escolhas.
O homem inicialmente se protegia da chuva, calor e do frio, abrigando-se nas cavernas. Depois foi fabricando seus abrigos com elementos da natureza. Construiu a casa. Com os alimento, se valia do que a terra apresentava. Em seguida replantava o que lhe servia de alimento. Usou instrumento para caçar animais.Buscando melhorar sua vida, sua inteligência ia descobrindo aos poucos o que lhe facilitava a viver bem. Descobriu logo que o que desejasse conseguir teria de se submeter ao início, ao meio e ao fim. Daí teria de seguir esta ordem para que tudo desse certo.
Jesus apresentou fato conhecido para mostrar a necessidade que temos de organizar a vida comum, que se aplica também à vida religiosa.
A festa de casamento, seria o resultado que nos espera como resposta à nossa vida, para irmos ao encontro com Deus na felicidade eterna.
Festa, comemoração precisa ser preparada. A vida eterna, o estar com Deus após nossa vida na terra, pede preparação. A lamparina precisa de óleo para manter-se acesa e iluminar a noite a a festa.
A lamparina é nossa vida. O óleo é a nossa vida bem vivida na fé, na esperança e muito na caridade, ações que fazem bem ao nosso próximo. Se tudo estiver em ordem poderemos participar da festa do noivo: Deus.
Se não, bateremos na porta fechada e ela não se abrirá. Pois estaremos sem luz, sem os documentos necessários.

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!