Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (21/02), por Monsenhor Paulo Daher

7ª Semana Comum | Segunda-feira
21/02/2022

Em Marcos, 9, 14-29, Jesus chega junto aos discípulos. Estavam discutindo. É que um pai se queixou: eles não conseguiam curar seu filho de um espírito mudo.
Jesus lamenta a pouca fé deles.

Trazem o menino, que ao ver Jesus, cai no chão, rola, espuma.. Dizem que isso já é desde menor.
O pai suplica: “Se podes, ajuda-nos.” E Jesus: “se podes?…

Tudo é possível para quem tem fé.”
E o pai: “eu tenho fé, mas ajuda minha falta de fé!”
Jesus expulsou o espírito, que saiu com violência, gritando.
O menino caiu como morto.
Jesus o levantou pela mão.

Quando depois os discípulos perguntaram porque não conseguiram,

Jesus disse: “só com muita oração expulsariam esta espécie de demônio.”

Quando leio esses casos no evangelho, ao invés de analisar o que são, como acontecem ou possam aparecer, prefiro analisar na vida comum, atitudes que são semelhantes e que são causadas por uma vida cristã não comprometida.

O ser humano é responsável por seus atos. Temos capacidade de compreender, de analisar, desejar, querer que dependem bastante de nós.

A atenção na educação em casa, na escola, nos relacio-namentos, tem de começar cedo. Inicia-se criando bons hábitos.

Sabemos que nossas qualidades espirituais, sentimentos, desejos, no início vão se manifestando como reação ao que nos é apresentado. E nem tudo que “cai em nossas mãos” deve ser aceito ou dirigir nossas escolhas.

Em nós por nossa inteligência e consciência, temos critérios para ver o que nos é apresentado e escolher o que de fato é bom, certo e reto.

Muitas vezes por não avaliarmos primeiro o que nos é apresen-tado, e aceitamos só porque nos agrada, caímos em erros e enganos.

Tudo o que nos desvia da verdade e do bem não devemos aceitar, ao menos como decisão. Pois nossa fragilidade pode se contentar com algo que nos agrada, mas que de fato não é um bem.

Outra observação: a mudez, ser mudo, fazer-se mudo, calar quando não devíamos. Fazem parte de nosso dia a dia.

Dizia-se: a palavra é de prata, o silêncio é de ouro.

São Tiago apresenta afirmações muito sérias sobre o uso da língua. Em sua carta no cap 3, 1-15. Leia todo.
Veja só esta: a pessoa que não erra no falar é uma pessoa perfeita.

Cristo vive e é o Senhor!

Monsenhor Paulo Daher (falecido em 2019)

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!