Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (24/02), por Monsenhor Paulo Daher

7ª Semana Comum | Quinta-feira 24/02/2022

Em Marcos, 9, 41-50, Jesusdiz: “quem der um copo d´água a vocês será recompensado.
Quem escandalizar aos pequeninos que creem, seja lançado ao mar.
Se tua mão e teu pé te levam a pecar, corta-os.
Se teu olho também, arranca-o.
É melhor entrar no céu sem eles do que com eles ir para o inferno…

O sal é bom. Mas se perde a força, não. Tenham sal em vocês e vivam em paz.”

Muitas vezes a Palavra de Deus comenta sobre nosso relacionamento com as pessoas: desde a nossa maneira de ser, como de viver, o que faz bem a nós e aos que convivem ou se relacionam conosco: não é bom que o homem, (qualquer ser humano) esteja só, (Gn 2,18).

Somos seres sociáveis: temos nossa identidade individual, que não deve se isolar em nós mesmos. E aí em a natureza dos seres vivos nada nem ninguém se desenvolve e cresce sozinho.

Esta realidade de não sermos uma ilha neste universo e muito menos nesta terra ou neste grande mar da vida, não é só na dependência física ou psicológica, não se aplica somente em precisar dos outros no alimento, na saúde, na proteção contra as dificuldades da vida.

O que mais precisamos para de fato realizar nossa vida humana é: a necessidade de amar e ser amado.
Este sentimento, esse estado de espírito, este envolvimento próprio do ser humano como imagem e semelhança de Deus é mais que sangue em nossas veias, que as batidas de nosso coração, que toda a contextura inimaginável de nosso cérebro.
O amor se manifesta quando alguém se coloca como razão e necessidade de ser amado por nós.

Em nossa vida prática, muitos objetos materiais de utilidade ou como instrumento, só tem sua razão de ser quando realizam sua finalidade: uma faca, um parafuso, um tijolo, o sal, nossos dentes, nossos pés, nossas mãos. Tudo só mostra sua razão de ser quando pode ser utilizado.

Assim é o amor: ele é provocado e provoca quando o ser humano pode “utilizá-lo”. E mais: quem não ama ainda não percebeu o sentido da vida. Tudo o mais na vida do ser humano acaba por ser só de utilidade como os objetos!

A partir do sentimento que percebemos em relação aos outros, tudo o que fizermos de bem a eles vai a ele e retorna na alegria do amar e ser amado.

Cristo vive e é o Senhor!

Monsenhor Paulo Daher (falecido em 2019)

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!