Colunistas Destaque Destaque2 Em Destaque

REFLEXÃO (24/08), POR MONSENHOR PAULO DAHER

21ª Semana do Tempo Comum | São Bartolomeu | Quarta-feira
24/08/2022

Evangelho (Jo 1,45-51)
45Filipe encontrou-se com Natanael e lhe disse: “Encontramos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e também os profetas: Jesus de Nazaré, o filho de José”. 46Natanael disse: “De Nazaré pode sair coisa boa?” Filipe respondeu: “Vem ver!” 47Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. 48Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. 49Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”. 50Jesus disse: “Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” 51E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

Em João 1, 45-51, Filipe diz a seu amigo Natanael que encontrou Jesus de Nazaré, o Messias prometido.
Natanael responde: de Nazaré nada pode vir de bom?
Filipe:
“vem e vê. ”

Antes de chegar, Jesus elogia Natanael.
E este:
“de onde me conheces?” Jesus:
“eu te vi debaixo da
figueira. ”
Natanael: “Mestre, Tu és o Filho de Deus, o rei de Israel.”
E Jesus:
“acreditas assim.
Verás coisas maiores. Vão ver os anjos de Deus adorando o Filho do homem.”

Filipe fala de Jesus a Natanael, (Bartolomeu), que responde com indiferença ouvindo que era de Nazaré.

As profecias não falam nada de Nazaré… Mas Filipe, amigo de verdade, não desiste, e
pede para vir com ele ver Jesus.
E aí o inesperado acontece com Natanael.

Quantas lições! Pensamos que sabemos tudo. Cada dia, pode trazer novidades para nós: da
natureza, de acontecimentos, de pessoas de toda a idade.

A cada momento somos surpreendidos por
atenções não do acaso mas da providência divina. Nem sempre percebemos a mão de Deus nos acontecimentos.

Preocupa-nos que apresentando muitos pedidos a Deus de graças que julgamos
necessárias para nossa vida, não temos resposta.

A melhor atitude é: peçamos o que acharmos
necessário.
Mas pela fé devemos dizer como o próprio Cristo na oração do Pai nosso: seja feita
a vossa vontade, assim na terra como no céu.

Natanael teve resposta imediata positiva ao sentir na afirmação de Cristo a “descoberta”
que não sabemos de que.
Mas que deveria ser um segredo muito íntimo que só ele sabia.
O que seria que o afligia tanto quando estava debaixo da figueira?
A cada um de nós Jesus nos diz: admiras? verás coisas ainda maiores…

Cristo vive e é o Senhor!

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!