Destaque Destaque2 Em Destaque

Reflexão (31/03), por Monsenhor Paulo Daher

4ª Semana da Quaresma | Quinta-feira
31/03/22

Em João 5, 31-47, Jesus continua a provar diante de seus inimigos que Ele veio para dar testemunho da verdade. Lembra João Batista que era como uma lâmpada brilhando como luz celeste. E Ele, Jesus foi enviado pelo Pai para apresentar toda a verdade e mostra isso com suas ações. Que acreditem nele.

A própria Escritura mostra muitas vezes que isto aconteceu e está acontecendo como foi previsto. O próprio Moisés já falara sobre a vinda de Cristo como salvador de todos.

Jesus é paciente.Com as pessoas que aparecem: acolhe, conversa, ensina as verdades religiosas para firmar a fé de todos, povo simples e humilde. Já com os chefes religiosos a dificuldade é maior, pois lembravam os preceitos da Lei, criaram outras obrigações, que nem sempre eram fáceis.

Na educação comum, na educação e formação religiosa, o que dificulta não é aprender o que fazer. Alguns tem hábitos que precisam ser corrigidos, pois favorecem o prazer pessoal, olhando mais para si mesmos.

Deixar de fazer o que nos agrada para atender a Deus não é fácil.
É que Jesus tenta a cada momento ensinar ao povo como dirigir suas próprias vidas e isto serve muito para cada um de nós. Suas parábolas apresentam exemplos para nos conhecermos melhor e também para conhecer como Deus reage diante de nossas escolhas..

Ao ler o evangelho, devemos ver como aplicar à nossa vida o que é proposto ali. Jesus insiste em nos ajudar a enxergar melhor quem é Deus, nosso Pai e o que o próprio Cristo veio fazer aqui na terra e continua a acompanhar-nos em nossa vida diária.

Os santos dão-nos exemplo de entrega total de suas vidas nas mãos de Deus para o que o Senhor desejar que façamos de bem a todas as pessoas.

Rezo todo o dia dizendo a Deus que entrego minha vida em suas mãos e me ofereço a ajuda-lo a levar sua Palavra a todos as pessoas que eu encontrar.

Como decisão é muito bom. É disposição clara do que eu quero.
Mas do dizer e prometer para o fazer há um espaço grande. Nem sempre em minhas atitudes e convivência com as pessoas eu realizo este meu propósito. Será que estou querendo enganar a Deus?

É melhor prometer e se empenhar do que dizer não, ou dizer que vai pensar se vale a pena fazer isso. Se prometo, e durante o dia não faço, lá dentro de minha consciência acende uma luzinha vermelha a me lembrar: você disse que faria, porque não o faz?

A oração do Pai nosso é exemplo de promessa que fazemos diante de Deus. E vale muito para o Senhor. É melhor isso do que a oração do fariseu que dizia: eu te agradeço, Senhor porque não sou como as outras pessoas: ladrões, injustos… Jejuo…pago o dízimo… Quando o publicano mantendo-se à distância, nem levantava seu olhar ao céu, batia no peito e dizia: “ Meu Deus, tem piedade de mim que sou um pecador…”(Lc 18,11s)
E Jesus afirmou: este pecador saiu justificado, isto é, mereceu receber a bênção do perdão de Deus…

Cristo vive e é o Senhor!

Monsenhor Paulo Daher (falecido em 2019)

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!