Destaque Destaque2 Em Destaque Sem categoria

Reflexão 6° Domingo do Tempo Comum, por Monsenhor Paulo Daher

6º Domingo do Tempo Comum 13/02/2022

Em Lucas 6, 17.20-26 – Cristo com seus discípulos diante de uma multidão de pessoas apresenta as bem-aventuranças: modo de viver que faz-nos felizes. Nossa maneira de escolher como viveremos determinará a realização de nossa vida na felicidade ou no sem sentido de tudo o que fazemos.

Subir a montanha, indica estar bem junto de Deus e enxergar melhor as pessoas.

Jesus subiu à montanha, e desse trono de Deus, indicou para nós os caminhos melhores:
* pobreza de espírito – esvaziar-se de ambições, do espírito possessivo (não ser dono de nada), ficar disponível para os valores do Reino.
* amor à Cruz – que vem do mundo, dos outros, (perseguições, invejas, discriminações), de nós mesmos (problemas internos, sofrimentos sem explicação)
* abertura ao Reino pela porta da justiça, da verdade, tolerância, perdão e amor sincero.)

A verdadeira felicidade não é a que vem ao encontro só de meus interesses, mas do bem que o Senhor destinou para mim.
A maldição dos que se julgam sábios, dos ricos avarentos ou exploradores, coloca-os em seu lugar deserto e sem a água da vida.

A bênção aos humildes e pobres ( os que confiam mais no Senhor) realiza neles a felicidade de Jesus:

– cujo segredo é disponibilidade para servir;

– cujo preço é a cruz ( aceitação de ter de lutar sem lamentar-se, para conquistar seu lugar);

– cuja entrada, portal aberto, é a caridade, um amor sempre disposto e alegre.

Cristo vive e é o Senhor!

“A ressurreição de Cristo é a certeza que dá sentido à nossa fé.
A ressurreição de Cristo, que continua presente em nossa vida, confirma o caminho certo para a felicidade que Ele já nos faz viver.”

Monsenhor Paulo Daher (falecido em 2019)

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!