Diocese de Uberlândia Em Destaque

Se eu tivesse um filho, que conselhos eu daria?

Filho, a vida em qualquer circunstância valerá sempre a pena. O mundo é realmente belo e as pessoas, em sua maioria, são muito interessantes. E eu sou sinceramente grato por existir e ter visto o que vi e vivido o que vivi. No entanto, eu gostaria de aprender com você algumas coisas que julgo indispensáveis, as quais ainda me esforço para colocá-las em prática.

pai-e-filho1

Ao longo de sua vida você sofrerá algumas decepções; de toda ordem e de todos os lados. Se possível, não se angustie demais. Mas atenção; descubra minuciosamente de onde elas vêm. Sofra tudo o que tiver que sofrer e não se condene se você for tomado pelo ódio e pelo desejo de vingança. Isso também passa, se você realmente desejar. Muitas pessoas poderão traí-lo ao longo de sua vida. Talvez você também traia, mas, esforce-se o quanto possível para não cometer este mal. A traição é uma desonestidade atroz.

Entretanto, de tudo, não se contente em maquiar os seus sentimentos; perdoe. Recorda-te todos os dias, ao se levantar e ao se deitar, que você decidiu perdoar quem ou o que lhe causou algum mal. Isso aliviará o seu coração e possibilitará que você siga adiante sem peso nem constrangimento. Mas atenção: uma coisa é perdoar, outra coisa bem diferente é manter proximidade. Perdoe, mas mantenha certa distância da pessoa que o traiu ou que lhe fez deliberadamente o mal. Ela poderá cometê-lo de novo e isso poderá lhe tomar completamente o coração, tornando-o descrente de tudo e de todos.

Portanto, cuide-se. Mas, sobretudo, proteja-se dos perversos. Eles sempre se fazem conhecer. Esteja atento. E acredite: o mal existe, é real e atuante. Não se deixe contaminar por ele. A fábula é verdadeira: o bem sempre vence.

Meu filho, você terá alguns familiares e parentes; desses, alguns poderão ser seus amigos. Não necessariamente. Os amigos você os identificará aos poucos. Não tenha pressa e não se perturbe se alguns que você elegeu forem embora de sua vida e de vez. É normal e, às vezes, necessário. Quanto a isso não vou me delongar. A vida é sábia e o fará compreender as infinitas circunstâncias dessa mobilidade. De uma coisa tenha certeza: Você jamais estará sozinho, desde que seja honestamente agradecido. Reconheça o bem que lhe fizerem e retribua com amor e devoção. Isso basta. E leia. Leia sobre tudo, preferencialmente, fábulas, mitos, literaturas e tudo quanto o seu coração se interessar. A leitura cumpre uma função pedagógica intransferível: ela nos revela nossa verdadeira ignorância. Por isso, tenha sede de conhecimento. Beba diretamente da fonte: compre livros; muitos e de variados temas. Assista filmes e resenha-os. E creia infinitamente mais na sua parca sabedoria do que nos elogios fáceis que você possa ouvir.

Há coisas que serão indispensáveis na vida. Outras, é bom que você as encontre. Religião, por exemplo, é uma coisa boa [desde que prima pela pessoa e não pela lei], mas reverencie, sobretudo, a arte, a poesia, a música e, por favor, não deixe de admirar a lua cheia e o pôr-do-sol algumas vezes. Aos poucos, essas imagens gerarão outras infinitamente melhores dentro de você e serão estímulos para você seguir adiante, especialmente nos momentos mais sombrios. E, ao menos uma vez em sua vida, contemple o mar. Pare a certa distância e, silenciosamente, converse com ele. Ouça-a, demoradamente, de preferência à noite e sozinho. Disso eu não sei dizer bem, mas apenas sentir. Gostaria muito que você sentisse o que eu senti ao fazê-los. E mais; nomeie os relativos e os absolutos de sua vida. Vá fazendo isso aos poucos, mas não os confunda jamais. Se tiver algum segredo, inominável e impronunciável, não o conte a ninguém, nem mesmo à sua sombra. Pois, o seu melhor amigo terá outro melhor amigo e aquele um outro melhor amigo, e, assim, ao infinito. Nenhum segredo estará melhor guardado se não estiver apenas com você.

Meu filho, não se engane; os homens são bons até que você se interponha entre os interesses deles. A maioria das pessoas é vaidosa e deseja de todo o coração o poder e, algumas, farão o possível para conseguirem o que almejam, custe o que custar. Isso não é de todo ruim. Você, no entanto, tenha sonhos e projetos e, paulatinamente, vá atrás de cada um deles. O lugar que você chegar será seu, mas, se o assaltarem ao longo da travessia não se deixe abater; construa outros sonhos, outros projetos. Não existe missão mais nobre e mais urgente do que esta: viver. O seu lugar estará onde quer que você vá. Ele é você. No mundo há também muita manipulação de consciências e de interesses. Há violência, guerras e maldades gratuitas. Você terá alguns inimigos gratuitos. Não se entregue nem se converta a essa face nefasta do mundo. Seja fiel à sua consciência e semeie a bondade, a ternura e a beleza por onde passar.

Quando uma pessoa discordar de você e se mostrar impertinente e intransigente, seja mais educado do que ela; sorria e não tente convencê-la do contrário. Ela não o ouvirá. Ela não se importará com o que você tem a dizer. Não se importe também, mas seja o melhor que você puder ser. Isso lhe tornará magnânimo e senhor de si. Não se intimide nem se acovarde diante de um prepotente ou de um tirano. Eles, aos nos fazerem o mal, ensinam-nos como não agir. Educam-nos. Não os imite. Não os siga e não se curve diante deles, mas sorria-lhes. Essa linguagem nobilíssima eles desconhecem e, nisso, alcançarás a vitória.

Por fim, meu filho, eu gostaria de lhe propor um último conselho. Se possível, não se apaixone. A paixão o tornará irrefutavelmente vulnerável. E isso não será de todo bom. Porém, se apaixonares não se case. Mas, se casares, seja fiel, paciente e atencioso, pois a incandescência do início esfriará e, no fim, permanecerão o encanto, a admiração e o respeito. E seja, antes de tudo, do amor um amigo. Pois, de todos, haverá um amor no qual você poderá confiar sempre: a amizade. Amigos são raros, é verdade, mas se você os encontrar, descanse neles. E acredite: não serão poucas as ocasiões em que você se emocionará com os seus amigos. Repito: não tenha pressa. Você saberá identificá-los. Porém, com todos, tente ser cortês, educado e gentil. Afinal, um amigo poderá nascer de um acaso, mas o acaso nunca lhe furtará um amigo. E isso é tudo.

___________________

Por, Pe. Claudemar Silva

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!