Destaque Diocese de Uberlândia Diocese em Ação Notícias

Seminarista Douglas Nunes será ordenado Diácono neste sábado (30)

“Eu sou Douglas Nunes, o segundo filho de Carlos Alberto Nunes e Vandir Isabel da Costa Nunes. Tenho atualmente 26 anos, sou natural de Araguari e até os meus 10 anos não fui muito frequente na Igreja” – foi assim que o Seminarista começou a se definir em uma entrevista descontraída ao ELODAFE, realizada na manhã de ontem (26) no Centro de Comunicação Diocesano. 

Seminarista Douglas Nunes (Reprodução: Arquivo Pessoal)


Douglas será admitido à Ordem dos Diáconos neste próximo sábado (30), na Catedral Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, às 09h. Seus familiares e amigos; bem como o Clero Diocesano estarão presentes na Solenidade de sua Ordenação Diaconal. Presidida por Dom Paulo Francisco Machado, bispo diocesano, a missa marcará a vida formativa do Seminarista que se prepara para a Ordenação Presbiteral pela Diocese de Uberlândia.

Como o Seminarista mesmo citou, é natural da cidade de Araguari e era paroquiano, até o início de sua preparação vocacional, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida. Até os 10 anos, Douglas não participativa ativamente da Igreja, diferente de seus pais que sempre optaram por ter uma vida pastoral, sendo atuantes e presentes nas celebrações. O Seminarista começou a ser mais frequente quando iniciou a Catequese, junto ao seu irmão dois anos mais velho, que por iniciativa de sua mãe Vandir, aguardou Douglas para começar sua caminhada catequética. O motivo: Douglas era muito tímido e a mãe não o queria sozinho.

Douglas confessou que particularmente não gostava muito de ir a Igreja, sua atividade era mesmo ir a Missa, mas que este fato o ajudou na sua formação e vida de oração. “Todo o domingo, antes de ir a Missa, ficava rezando para que o meu tio levasse a sobrinha-neta dele a Igreja, para que eu cuidasse dela e assim ficasse de fora da Missa”, afirmou. Ele achava a celebração muito chata “aquele senta levanta, levanta senta. Depois tinha aquela hora que o padre começava a falar e não parava mais (homilia) e o fim era quando ela mandava ajoelhar, pra mim era absurdo. Ia por obrigação por causa dos meus pais”. 

Foi com a Catequese que Douglas pôde conhecer mais sobre a Igreja e, aos poucos, foi se apaixonando por Ela e também gostando mais de ir a Missa. Segundo o Seminarista, foi nestes momentos vividos que a vocação lhe surgiu, chegando ao ponto de participar de todos as celebrações na Comunidade, sentando sempre no primeiro banco da Igreja. Em sua formação catequética, Douglas destacou um catequista, hoje também Seminarista da Diocese de Uberlândia, Handley Gonçalves. “Vendo o exemplo dele de dedicação, eu comecei a participar”, concluiu. 

No Ensino Médio, Douglas conta que preferia se dedicar a aprender tudo sobre a Igreja, do que estudar matérias como meiose e mitose em biologia. Com o tempo e amadurecimento, passou a se dedicar muito à vida pastoral da Paróquia ao ponto de ir a Igreja todos os dias. Se tornou, inclusive, secretario paroquial. Nessa época, mesmo de férias Douglas não deixava de ir. Seu primeiro amor foi pela Liturgia e, aos poucos, foi se aprofundando cada vez mais na Sagrada Escritura, Sacramentos e outros ensinamentos importantes. 

Em 2010, ingressou no Seminário Propedêutico para dar início ao seu primeiro ano formativo. Nos três anos seguintes cursou Filosofia na Faculdade Católica de Uberlândia e, neste tempo, atuou pastoralmente na Paróquia Santa Mônica, em Uberlândia, ao lado de Pe. Willian Garcia, pároco na época. Em seguida, mudou-se para o Seminário Dom Estevão em Belo Horizonte para cursar Teologia. Na capital de Minas, esteve na Paróquia São Domingos de Gusmão e no Santuário Senhor Bom Jesus. 

Ao ser questionado sobre o amparo dos pais, Douglas afirmou que sempre foi apoiado. Ele acredita que o alicerce veio do engajamento dos pais ao serviço pastoral à Igreja. A família toda sempre foi muito presente na vida pastoral. Segundo ele, houve apenas um temor por parte de sua mãe, Vandir, por conhecer e acompanhar os trabalhos da Igreja. Ela sabia que a vida de um presbítero não era fácil e tinha dúvidas se de fato o filho seria feliz.

Dificuldades

Para Douglas, as crises sempre estão presentes na vida de todos. Seja elas vocacionais, familiares ou até mesmo existenciais. Seu primeiro desafio foi se acostumar com a distância de sua casa. Não só para ele, mas principalmente para a mãe, que pela primeira vez teve que se distanciar do filho, mas nunca deixou que sua tristeza fosse notada por ele para que não o influenciasse em sua decisão de permanecer em formação.

Sem ser muito dedicado aos estudos, sendo aluno mediano, o Seminarista ressaltou que a faculdade era uma de suas maiores preocupações. Por ter se saído muito mal em filosofia no ensino médio, ele se preocupou se daria mesmo certo. Ciente de que teria que esforçar mais para acompanhar os estudos, Douglas começou a se dedicar e, com o tempo, foi se adequando a rotina que a faculdade exigia para que tudo desse certo.

Outra dificuldade salientada pelo Seminarista, foi o fato de seu isolamento nos primeiros dias do processo formativo. Por sempre ser muito livre, tendo uma vida intensa de trabalho e atividades pastorais, Douglas se viu “fechado” no Propedêutico, ao ter que iniciar uma nova rotina, ainda que o Seminário fosse espaçoso, com um grande área ao lado de fora,  o isolamento também foi um desafio a ser superado.

Amizades

Em todo o processo formativo Douglas teve a oportunidade de conhecer diversas pessoas que contribuíram para a sua formação. Na entrevista, fez questão de citar três delas. Agradeceu a amizade do Seminarista Alan Carlos, que o acompanhou em todo o processo formativo, possuem grande proximidade e Douglas, em particular, uma alegria muito grande de o ter conhecido.  No seu tempo de formação em Belo Horizonte, na Teologia, conheceu o capuchinho Frei Márcio José, ambos estudaram juntos por um ano e construíram uma linda amizade que segue firme até hoje.

Na Paróquia São Domingues Gusmão, Douglas ressaltou o acolhimento de uma família em especial a do casal Ronilson e Célia, juntos aos filhos Miguel e Alícia, que estiveram ao seu lado durante um ano e meio. Almoços aos domingos eram frequentes e o contato e as visitas continuam até hoje.

Acompanhamento Presbiteral

Dentre os padres que acompanharam o seu processo formativo, Douglas frisou o acompanhamento que recebeu de Pe. Hudosn Inácio, na época pároco na Paróquia Nossa Senhora do Rosário em Araguari. Antes de entrar no Seminário, ambos conversaram muito e em seu período de estudos em Filosofia, Pe. Hudson foi o seu diretor espiritual. O atual cura da Catedral de Santa Teresinha foi importante no seu discernimento e acompanhamento vocacional, junto a Pastoral Vocacional da Diocese.

Ao final da entrevista, Douglas fez questão de destacar: ” É importante nós mostramos para toda a Igreja, para o povo, que existe todo um processo de formação. O Cristianismo na sua origem era conhecido como o ‘caminho’; os primeiros cristãos eram conhecidos como ‘aqueles do caminho’, pois eram aqueles que seguiam a Jesus Cristo. Assim também, não diferente do Cristianismo de forma geral,  a formação é um caminho. À medida que vamos dando passos, vamos passando por este caminho.

Então há o passo do Propedêutico, da Filosofia e Teologia; dentro da Teologia os Ministérios do Acolitato e Leitorato; depois o Estágio Pastoral, o Diaconato – um grande passo para o Ministério Presbiteral – e muitas vezes as pessoas não sabem que existe esse caminho. O povo muitas vezes procura o padre para o Batismo, Confissão, quando querem participar da Missa, mas não acompanha como é ‘feito’ o padre. É importante que o povo acompanhe a vida do Padre. Todos devem participar deste processo de formação”.

Em meio às suas palavras também convidou: “Que todos possam participar no próximo sábado (30), às 09h, na Catedral Santa Teresinha, onde Dom Paulo me acolherá na Ordem dos Diáconos”. O CCD (Centro de Comunicação Diocesano) louva a Deus pela vida do Seminarista Douglas Nunes, e agradece de forma especial a sua família por ter o apoiado em sua decisão de se dedicar à vida pastoral da Diocese de Uberlândia através do Sacramento da Ordem.

 A Catedral está situada à Praça Tubal Vilela, s/n, no Centro de Uberlândia. Confira o convite para a Missa de Ordenação: 

Como é comum em meio as celebrações dos Sacramentos da Ordem, terá início na noite de hoje (27) o Tríduo em Louvor a Ordenação Diaconal de Douglas Nunes. Confira a programação, agende-se e participe: 

Tríduo em Louvor a Ordenação Diaconal 

Quarta-feira (27), às 19h. 
Igreja Matriz da Paróquia Santa Mônica
Praça Américo Ferreira de Abreu, 380, Bairro Santa Mônica 
Missa presidida por Pe. Marcelo Augello. 

Quinta-feira (28), às 19h30. 
Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida 
Rua Jaime Gomes, 1665, Bairro Santa Helena, Araguari. 
Missa presidida por Pe. João Antônio Júnior com bênção das vestes diaconais. 

Sexta-feira (29), às 19h30. 
Igreja Matriz Santa Rita de Cássia 
Rua Lídia, 780, Bairro Canaã. 
Missa presidida por Pe. Guilherme Sotort e co-presidida por Pe. Fábio Mendes

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!